Flávio Bolsonaro toma vacina contra a Covid-19 e ironiza: 'obrigado ao negacionista Jair Bolsonaro'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O senador Flávio Bolsonaro foi o primeiro integrante homem da família a tomar a vacina contra a Covid-19. Em um vídeo publicado no Twitter, o parlamentar aparece ao lado do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que aplicou o imunizante, e ironizou sobre a postura negacionista do presidente da República, Jair Bolsonaro, que se manifestou diversas vezes contra as vacinas.

“Acabo de me vacinar contra a Covid. O Ministro Marcelo Queiroga me vacinou com a AstraZeneca/Fiocruz, produzida no Rio de Janeiro, eficaz e bem mais barata que a de outros fabricantes.Obrigado ao “negacionista” Jair Bolsonaro por garantir a vacina nos braços de todos os brasileiros!”, ironizou Flávio.

O senador tem residência no Rio de Janeiro e no Distrito Federal e, aos 40 anos, foi vacinado na repescagem na capital fluminense. A vacinação para homens desta idade estava marcada para o dia 9 de junho. No vídeo, Queiroga defende a produção da vacina Astrazeneca em parceria com a Fiocruz e a transferência de tecnologia para fabricação das vacinas no Brasil.

“Vacina segura, eficaz e já incorporada ao Sistema Único de Saúde. As análises realizadas pela Comissão Nacional de Incorporação do SUS prevê uma economia de R$150 bilhões quando comparamos as possíveis despesas com Covid-19 aos gastos com vacinas. Então esse é o cenário que projetamos para o SUS, vacinas com eficácia comprovada e economia ao sistema”, afirma o ministro. “E os resultados já estão aí: queda no número de casos, menor pressão sobre o sistema e redução de óbitos para nossa vida voltar ao normal”, conclui Queiroga.

Em abril deste ano, o ministro da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, afirmou que tomou a vacina contra a Covid-19 escondido da imprensa por orientação do Planalto. A declaração foi feita em uma reunião do Conselho de Saúde Suplementar, nesta terça-feira, que estava sendo transmitida ao vivo pela internet sem o conhecimento do ministro.

“Tomei escondido, né, porque a orientação era para não criar caso, mas vazou. Eu não tenho vergonha, não. Tomei e vou ser sincero. Como qualquer ser humano, eu quero viver, pô. E se a ciência está dizendo que é a vacina, como eu posso me contrapor?”, questionou Ramos.

Um dos principais aliados de Jair Bolsonaro, Ramos ainda contou na reunião que estava fazendo esforços para convencer o presidente a tomar a vacina.

“Eu estou envolvido pessoalmente tentando convencer o nosso presidente (a tomar a vacina), independente de todos os posicionamentos. Nós não podemos perder o presidente por um vírus desse. A vida dele, no momento, corre risco”, desabafou para outros ministros que também estavam na reunião.

Como mostrou O GLOBO, Jair Bolsonaro vai na contramão de outros chefes de Estado que se vacinaram assim que possível. Entre os 12 países da América do Sul (excluindo a Guiana Francesa), todos já receberam ao menos a primeira dose, com exceção do presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez. “Marito”, como é chamado por Bolsonaro, repetiu seu colega brasileiro e será o último a se imunizar, de acordo com o ministro da Saúde paraguaio, Julio Borba.

Nos países do G-20, 15 líderes se vacinaram publicamente, três divulgaram ter se vacinado e apenas um não afirmou se já foi imunizado ou se pretende ser: o presidente da China, Xi Jinping.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos