Flávio Dino afirma que empresários do agronegócio e CACs estão entre financiadores de atos golpistas

O ministro da Justiça, Flávio Dino, afirmou nesta terça-feira que há empresários do agronegócio, comerciantes e membros do grupo conhecido como colecionadores, atiradores e caçadores (CACs) entre os financiadores de atos golpistas realizados em Brasília.

— Temos pessoas de vários perfis, na verdade. Nós temos desde comerciantes locais, há pessoas vinculadas ao segmento do agronegócio, há vinculados ao segmento dos CACs. São pessoas de vários perfis. Não é possível identificar um único segmento — disse Dino, em entrevista após a posse do diretor-geral da Polícia Federal, Andrei Rodrigues.

Investigação: PGR pede abertura de inquérito contra Ibaneis e Anderson Torres

De acordo com o ministro, também há uma "ênfase maior" em pessoas das regiões Centro-Oeste, Sul e Sudeste.

— São estados que estão distribuídos em várias regiões, claro que com uma ênfase maior, nesse momento, até aqui, do Centro-Oeste e Sul, Sudeste.

Na segunda-feira, Dino já havia afirmando que foram identificados financiadores de dez estados que bancaram o transporte dos manifestantes para Brasília.