Flórida combate invasão de caramujo-africano

A Flórida combate a invasão de centenas de caramujos-gigantes-africanos, que apareceram na Costa do Golfo ameaçando destruir plantas e árvores e apresentando o risco de transmissão de um tipo raro de meningite aos humanos.

Vídeo: Piloto de avião desvia do trânsito e faz pouso de emergência em rodovia nos EUA

Vídeo: Mulher filma momento em que raio atinge carro do marido durante temporal, nos EUA

De acordo com o site do Departamento de Agricultura dos EUA, o caramujo, nativo da África Oriental, é um dos mais prejudiciais do mundo, comendo pelo menos 500 tipos diferentes de plantas, cascas de árvores e até tinta e reboco de casas.

Com a concha que pode crescer até 20 centímetros de comprimento e se reproduz rapidamente, o gastrópode, cuja muitas vezes carrega um parasita conhecido como verme pulmonar de rato, pode transmitir um tipo de meningite - com sintomas que incluem dores musculares, dor de cabeça, rigidez no pescoço, febre e vômito.

Mais de 1.000 criaturas foram coletadas no subúrbio de New Port Richey de Tampa, no Condado de Pasco. Segundo o diretor-assistente da Divisão de Indústria de Planta do Estado, em uma entrevista coletiva, todos foram testados até quinta-feira e não estavam carregando o parasita do verme pulmonar de rato.

A cidade na Flórida foi colocada sob quarentena e as autoridades estaduais detectaram a infestação pela primeira vez em 23 de junho. Órgãos de saúde destacam a importância de não tocar ou ingerir o caramujo para prevenir infecções.

Essa não é a primeira vez que a espécie marca presença no estado norte-americano. Em 2010, segunda vez que apareceu, o governo local demorou uma década para erradicar o molusco.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos