Flórida sofre o maior aumento de casos de covid-19 nos EUA

·2 minuto de leitura
O governador da Flórida, Ron DeSantis, em foto de 23 de outubro de 2020

A Flórida, no sudeste dos Estados Unidos, se tornou nos últimos dias o estado do país com o maior número de casos diários de covid-19, devido principalmente à variante Delta do coronavírus - mais contagiosa - e a um relaxamento das medidas de prevenção.

O estado registrou 10.454 casos diários de média nos últimos sete dias - 22% do total nos Estados Unidos - contra os 1.839 que apresentava em 1º de julho, segundo dados dos Centros para o Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

Para Edwin Michael, professor de Epidemiologia na Universidade do Sul da Flórida, o aumento dos casos se deve primeiramente "à redução da vacinação, que deixa cerca de 25% da população ainda exposta a uma transmissão viral".

O professor destaca também "uma diminuição das medidas de prevenção social, incluindo a mais simples de todas: o uso de máscaras, além da chegada e propagação de variantes mais contagiosas, como a Delta, que surgiu na Índia, e a Alpha, procedente do Reino Unido".

O cirurgião geral dos Estados Unidos, Vivek Murthy, o principal porta-voz do país em questões de saúde pública, alertou na semana passada sobre a situação do estado.

"O desafio que temos na Flórida e em vários outros estados é que não temos taxas de vacinação suficientemente altas (...). A consequência é que a covid está se espalhando muito rapidamente nessas populações", disse em uma entrevista a jornais do grupo McClatchy.

Na Flórida, 58,3% dos maiores de 18 anos estão totalmente vacinados contra a doença, pouco abaixo do conjunto do país (60%), segundo os CDC.

Para Michael, o estado deveria dobrar sua taxa de vacinação atual para chegar à imunidade de rebanho no início de setembro, que é alcançada quando entre 80% e 85% da população está protegida, seja com as vacinas ou porque se contagiaram naturalmente com o vírus.

Na última semana, houve um aumento de 65% das hospitalizações por covid-19 na Flórida, segundo a Associação de Hospitais estadual. Do total de pessoas afetadas, 95% não estavam vacinadas, informaram as autoridades.

O agravamento da pandemia gerou críticas contra a gestão do governador do estado, o republicano Ron DeSantis, que suspendeu em maio as medidas de distanciamento social e a obrigação de usar máscara em lugares públicos.

O professor Michael opina que "mensagens confusas da liderança estadual para justificar a reabertura antes de alcançar a imunidade de rebanho" contribuíram para a crise atual. Ele pede para retomar as medidas de distanciamento social e o uso de máscaras.

Depois de subestimar a pandemia durante meses, DeSantis incentivou a população a se vacinar. "Essas vacinas salvam vidas", disse ele na semana passada.

gma/ll/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos