Flamengo anuncia Larissa Oliveira; veja atletas do clube confirmados ou com chances de ir a Tóquio-2021

Carol Knoploch
·5 minuto de leitura
Paula Reis/CRF

O Flamengo vai anunciar nesta quinta-feira a contratação da nadadora Larissa Oliveira, a maior medalhista brasileira em Jogos Pan-Americanos, em projeto para os Jogos de Tóquio e que ainda ganhará mais reforços.

A Olimpíada, que foi adiada por causa da pandemia do novo coronavírus, será disputada em julho. Larissa, assim como todos os nadadores do Brasil, ainda busca índice olímpico, uma vez que a seletiva, o Troféu Maria Lenk, está previsto para abril, no Rio.

— Não é porque sou flamenguista, mas estou feliz e empolgada. É clichê, mas é verdade. Estou ansiosa e feliz, e as expectativas são ótimas. Vou focar no treinamento para me classificar para Tóquio — disse ao GLOBO Larissa, ex-Pinheiros, que no ano passado participou da "bolha" ISL, em Budapeste, mas não esteve na Missão Europa, do Comitê Olímpico do Brasil (COB) nem do calendário internacional que foi adiado. — Não conhecia as instalações do Flamengo e estou impressionada. É o que preciso para me preparar para a seletiva olímpica.

Ela, que faz parte de um grupo de nadadoras que luta por mais espaço e reconhecimento para as mulheres na modalidade, explicou que a parceria com o Flamengo vai durar pelo menos um ano (ela ficou cerca de 11 anos em São Paulo e agora mora na Ilha do Governador, no Rio). E contou que não descarta a busca de índice nos 50m livre, mas que sua meta é se classificar nos 100m e 200m livre.

Larissa já nadou abaixo do índice dos 100m mas precisa repetir a performance no Maria Lenk, além de melhorar uns 20 centésimos para se garantir nos 200m também.

Até o momento, o Flamengo tem apenas dois atletas garantidos nos Jogos de Tóquio, uma redução expressiva em relação ao total de rubro-negros nas edições anteriores do megaevento. No Rio-2016, o clube foi representado por dez atletas e, em Londres-2012, por 20. Nas últimas duas edições, o clube teve apenas um pódio, com o nadador Cesar Cielo, em 2012 (bronze nos 50m).

Larissa é mais uma estrela do clube que conta com Isaquias Queiroz, da canoagem, recordista de medalhas olímpicas em uma mesma edição. Foram três, nos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016: prata C1 1000, bronze C1 200 e bronze no C2 1000 ao lado de Erlon de Souza. Ele tem ainda seis medalhas de ouro e seis de bronze em Mundiais de Canoagem e outros três ouros e uma prata em Jogos Pan-americanos. Ele já está classificado para Tóquio.

O time tem ainda a ginasta Flavinha. Ela é a única ginasta do Brasil que garantiu vaga para Tóquio, já que a equipe feminina não se classificou (a modalidade ainda fechará a lista dos atletas para as provas individuais).

Flavinha tem sete ouros, três pratas e dois bronzes em etapas da Copa do Mundo de ginástica (principalmente entre solo e trave), um ouro (solo) e duas pratas (geral individual e trave) na Olimpíada da Juventude, em Nanjing, na China, em 2014, e cinco medalhas de bronze em Jogos Pan-americanos.

Flamengo em Tóquio-2020

O Flamengo investe em nove modalidades olímpicas, com cerca de 800 atletas, sendo 44% oriundos de áreas de vulnerabilidade no Rio: remo, canoagem, vôlei, basquete, natação, nado artístico, polo aquático, ginástica artística e judô. E pode aumentar seu time classificado para Tóquio.

É que além de Isaquias e Flavinha, atletas do clube ainda buscam vaga para Tóquio.

Na ginástica, são elas: Rebeca Andrade, Jade Barbosa e Lorrane Oliveira. Elas tem poucas chances no Campeonato Pan-Americano, em maio, nos Estados Unidos.

O naipe feminino é também a maior força dos que buscam vaga na natação: além da Larissa Oliveira, Nathalia Almeida, Maria Fernanda Costa e Priscila Souza ainda têm esperança.

No polo aquático masculino, Heitor Carrulo, Alexandre Mendes, Henrique Lopes, Felipe Romaguera, Bernardo Gomes e Guilherme Gomes integram a seleção brasileira que busca vaga nos Jogos. Mas o time deve ficar fora de Tóquio.

No nado, Laura Miccuci integra o dueto que disputa o Pré-Olímpico. No remo, as principais apostas são as duplas Emanuel Borges e Evaldo Becker e Isabelle Falck e Vanessa Cozzi. E o basquete masculino, que tem remotas chances de classificação, pode contar com Rafael Mineiro, Yago Mateus, Leo Demetrio e Jhonatan Luz, que foram convocados recentemente para as janelas da seleção brasileira e podem voltar ao time no Pré-Olimpico.

O vôlei feminino, que já tem vaga para Tóquio, ainda disputa a Superliga. A seleção passa por renovação, desde 2016, após eliminação precoce, e o time ainda não foi convocado.

Amanda, Fabíola e Lorenne encabeçam a lista de possíveis convocadas para a seleção brasileira, com a promessa Ana Cristina se destacando a cada dia nas quadras nacionais.

O vôlei viveu recentemente atrito entre a diretoria do time e a presidência do Flamengo. O vice-presidente de Esportes Olimpicos do clube, Delano Franco, entregou o cargo e justificou a decisão alegando que o presidente Rodolfo Landim não cumpriu o acordo firmado entre Flamengo e Bernardinho.

O Flamengo na Rio-2016

Ginástica artística:

Flavia Saraiva, Daniele Hypolito, Jade Barbosa e Rebeca Andrade

Judô:

Karla Cardoso

Basquete:

Marquinhos

Nado artístico:

Lorena Molinos e Maria Clara Lobo

Pólo aquático:

Marina Canetti

Natação:

Luiz Altamir

O Flamengo em Londres-2012

Natação:

Cesar Cielo, Leonardo de Deus, Henrique Barbosa, Tales Cerdeira, Nicholas Santos, João de Lucca, Joanna Maranhão e Daynara de Paula

Remo:

Fabiana Beltram, Luana Bartholo e Kissya Catlado

Canoagem:

Erlon de Souza e Ronilson Matias

Judô:

Érika Miranda

Ginástica Artística:

Daniele Hypolito, Diego Hypolito e Sergio Sasaki

Basquete:

Marcelinho Machado, Caio Torres e Marquinhos