Flamengo de Ceni melhora na defesa, mas perde para São Paulo com falha de Hugo Souza

Diogo Dantas
·2 minuto de leitura

Para um jogo em casa de mata-mata, um resultado ruim e aquém do esperado. Para um trabalho que mal começou, a derrota do Flamengo para o São Paulo foi de certa forma uma injustiça para as boas ideias de Rogério Ceni em sua estreia.

O 2 a 1 pelas quartas de final da Copa do Brasil no Maracanã deixou a vaga mais difícil para a equipe rubro-negra no jogo de volta, em São Paulo. O Flamengo precisa vencer por dois gols de diferença.

A noite acabou marcada pela falha do jovem goleiro Hugo Souza, que precisou substituir Diego Alves, que saiu machucado após ser lançado como titular por Ceni. A jóia do Flamengo saiu jogando errado no fim da partida em lance que decretou o resultado negativo. Brenner aproveitou e deixou o segundo dele no jogo. Gabigol diminuiu.

Mas houve evolução em relação ao trabalho de Domènec Torrent. Em 24 horas, Rogério Ceni conseguiu detectar os principais problemas do Flamengo e deu boas soluções. Contra uma defesa que era muito vazada, montou uma segunda linha que lhe dava proteção. A participação de Vitinho e Michael, de certa forma surpresas na escalação, foi importante para limitar as ações do São Paulo, que não finalizou no primeiro tempo. Nem foi necessário tirar Gustavo Henrique, por exemplo, que vinha errando muito.

Com postura mais compacta, o Flamengo teve menos posse de bola, mas aplicou a intensidade para roubá-la do adversário e criar várias situações. Só que das oito finalizações da etapa inicial, teve sete ruins e uma o árbitro de vídeo anulou o gol de Gabigol, que voltava ao time titular. No lance, o Flamengo aproveitou um misto de recuperação da bola e lançamento em profundidade. A receita deu certo contra um time que jogava adiantado.

De certa forma, foi assim que os gols saíram. Logo no começo do segundo tempo, Gabriel Sara teve raro espaço e achou Brener como ponta de lança. O atacante saiu livre e tocou na saída de Diego Alves. Em seguida, Arrascaeta iniciou jogada semelhante, a bola sobrou para Bruno Henrique, que deu passe preciso para Gabigol fazer o movimento perfeito contra Tiago Volpi.

Se o goleiro do São Paulo trabalhou muito, o do Flamengo só com os pés. Tanto que depois do gol, Diego Alves sentiu câimbras e pediu para sair. O jovem Hugo Souza entrou às pressas e logo fez uma defesa importante. Na metade final do segundo tempo, o Flamengo aumentou a pressão e quase virou. Em erro na saída de bola, o São Paulo entregou nos pés de Arrascaeta, que sem goleiro errou o alvo. O uruguaio, no entanto, fez o time controlar mais o jogo e tomar melhores decisões, como se esperava. O Flamengo melhor tecnicamente fez o São Paulo errar ainda mais. Só não conseguiu concluir em gol.

Acabou que o erro fatal foi do lado rubro-negro. Que terminou com o triplo de finalizações - 12 a 4.