Flamengo culpa Atlético-MG por imbróglio em venda de ingressos para visitantes

·5 min de leitura

Flamengo e Atlético-MG se enfrentam neste sabado, a partir das 19h, no Maracanã, mas a disputa entre as diretorias, especialmente por conta da torcida visitante, começou há dias. O Flamengo respondeu a nota oficial emitida pelo Atlético-MG, que acusou o clube carioca de ter demorado para responder à sua solicitação de ingressos para a torcida visitante para a partida deste sábado.

Também por meio de nota oficial, o Flamengo afirmou ter cumprido a determinação do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) e culpou o clube mineiro pelos problemas que foram causados.

Fotos de torcedores do Atlético comprando ingressos para jogo estão sendo compartilhadas nas redes sociais.

"É importante destacar que o Flamengo cumpriu rigorosamente o que foi determinado pelo STJD e deu a cota de ingressos para venda como requerida pelo Atlético Mineiro. No entanto, o referido clube desistiu de fazer a venda, por ter entendido que não tinha condições técnicas de fazê-la. Para isto, voltou ao STJD solicitando uma modificação da forma de venda para a sua torcida, de modo que o Flamengo a fizesse em seu site. Este pedido foi negado pelo STJD e a venda deverá ser feita pelo próprio Atlético, como eles mesmos haviam pedido", escreveu o clube.

A polêmica começou após o Galo fazer um pedido ao Flamengo para que seus torcedores pudessem ter acesso a 10% da carga total de ingressos disponibilizada para a partida. O Flamengo demorou mais de uma semana para responder, o que fez com que a diretoria atléticana fosse ao STJD. Na tarde desta sexta-feora, o órgão exigiu que o clube carioca disponibilizasse os ingressos.

O Atlético-MG, no entanto, disse que seria inviável realizar todos os procedimentos necessários para a venda dos ingressos "em curtíssimo tempo até o jogo". Na mesma nota oficial, o clube mineiro criticou a postura de Rodolfo Landim, presidente do Flamengo.

"O Atlético lamenta a atitude antidesportiva do adversário e a forma arrogante e desrespeitosa de conduzir o processo, tendo sido, inclusive, o seu presidente Rodolfo Landim procurado em três tentativas, desde a última quarta-feira, pelo presidente do Atlético, Sérgio Coelho, que sequer resposta teve".

Em sua nota oficial, o Flamengo criticou o que considerou comentários desrespeitosos ao clube e a Landim, "que em nada se relacionam com a realidade dos fatos e nada agregam". E disse que "não mediu esforços com a finalidade de proporcionar um ambiente seguro, seja do ponto de vista sanitário, seja no aspecto da segurança física dos torcedores."

Confira a íntegra da nota do Flamengo:

O Clube de Regatas do Flamengo, após ter tomado conhecimento da nota oficial publicada pelo Clube Atlético Mineiro e tendo em vista as descabidas e inverídicas acusações, vem a público esclarecer o seguinte:

1. Desde o início do processo, o Flamengo se mostrou preocupado com a questão da segurança da operação, mas diligente no sentido de atender, da forma mais segura, o pleito do Clube Atlético Mineiro para disponibilização da carga de ingressos destinada à torcida visitante.

2. O Flamengo não mediu esforços com a finalidade de proporcionar um ambiente seguro, seja do ponto de vista sanitário, seja no aspecto da segurança física dos torcedores. Para isso, entrou em contato com as autoridades competentes, a fim de permitir que toda a operação fosse autorizada e feita da melhor forma possível, haja vista a complexa realidade que vivemos, em razão da necessidade de adotar protocolos sanitários, que são seguidos rigorosamente, ao menos no Rio de Janeiro.

3. Essa complexidade obriga a adotar um protocolo sanitário que se inicia a partir do momento da compra do ingresso, passando pela vinda dos torcedores atleticanos ao Rio de Janeiro, com a troca dos vouchers por ingressos, bem como com a entrada desses torcedores no estádio e o retorno para a sua cidade. A maior preocupação se verifica no momento da conferência dos documentos e dos comprovantes de vacinação e testagem negativa, o que obriga a permanência da torcida visitante por um período de tempo nas cercanias do estádio. Esses argumentos e outros foram apresentados ao STJD que, em sua análise, entendeu que era possível fazer a operação. Após essa determinação, o Flamengo imediatamente disponibilizou a carga de ingressos para o Atlético, conforme o solicitado pelo clube.

4. Ocorre que o Clube Atlético Mineiro, em detrimento a todo o protocolo determinado pelas autoridades sanitárias e de segurança da cidade do Rio de Janeiro - protocolo este que, obviamente, está sendo seguido à risca pelo Flamengo e toda a sua torcida - achou por bem solicitar uma nova conduta para este processo de venda e tecer comentários desrespeitosos não só a este clube como ao seu Presidente, que em nada se relacionam com a realidade dos fatos e nada agregam.

5. É importante destacar que o Flamengo cumpriu rigorosamente o que foi determinado pelo STJD e deu a cota de ingressos para venda como requerida pelo Atlético Mineiro. No entanto, o referido clube desistiu de fazer a venda, por ter entendido que não tinha condições técnicas de fazê-la. Para isto, voltou ao STJD solicitando uma modificação da forma de venda para a sua torcida, de modo que o Flamengo a fizesse em seu site. Este pedido foi negado pelo STJD e a venda deverá ser feita pelo próprio Atletico, como eles mesmos haviam pedido.

6. Desse modo, o Flamengo não poderia ficar silente a respeito de uma nota oficial agressiva e divorciada da realidade, que nada agrega ao futebol brasileiro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos