Flamengo deixou de ganhar R$ 22,7 milhões em premiações de Supercopa, Mundial e Recopa

O frustrante início de temporada do Flamengo teve continuidade nesta terça-feira, quando a equipe caiu nos pênaltis (após vitória por 1 a 0 que empatou o placar agregado em 1 a 1) para o Independiente del Valle, no Maracanã, e ficou sem o título da Recopa Sul-Americana. Foi a terceira disputa de título na qual o rubro-negro bate na trave nos últimos dois meses, que eleva para mais de R$ 22,7 milhões o valor potencial de premiações desperdiçado pelos Cariocas.

As premiações são um complemento importante ao orçamento do rubro-negro, que se acostumou a empilhar conquistas e faturar alto. Só na Recopa e na Supercopa, por exemplo, torneios de confronto com um único adversário, o Flamengo deixou de ganhar R$ 9,7 milhões, faturando apenas metade da premiação do campeão.

No Mundial, o "prejuízo" foi ainda pior, já que os comandados de Vítor Pereira perderam na semifinal e não atingiram a "faixa" da decisão, a partir de R$ 20,8 milhões para o vice-campeão. Do título ao terceiro lugar, conquistado pelo Fla, a diferença é de R$ 13 milhões.

Supercopa do Brasil: vice-campeão, o rubro-negro faturou R$ 5 milhões, metade do que o campeão Palmeiras levou de premiação, R$ 10 milhões. Valor potencial perdido: R$ 5 milhões

Mundial de Clubes: como não conseguiu ir à final, a equipe deixou de disputar uma premiação de US$ 5 milhões (R$ 26 milhões) ao campeão e US$ 4 milhões ao vice-campeão (R$ 20,8 milhões). Pelo terceiro lugar, ficou com US$ 2,5 milhões (R$ 13 milhões). Valor potencial perdido (em caso de título): R$ 13 milhões

Recopa Sul-Americana: com outro vice-campeonato, o rubro-negro deixou de levar US$ 1,8 milhões (R$ 9,4 milhões, na cotação atual), ficando apenas com US$ 900 mil (R$ 4,7 milhões). Valor potencial perdido: R$ 4,7 milhões