Flamengo dispensa cinco dos 16 jovens sobreviventes de incêndio no Ninho

Diogo Dantas
Ninho do Urubu volta a ser palco de treinos do sub-14 rubro-negro

Cinco dos 16 jovens que sobreviveram ao incêndio no Ninho do Urubu no ano passado foram dispensados pelo Flamengo das categorias de base do clube.

Apesar da decisão ter sido tomada com menos de um ano da tragédia, a alegação foi técnica, como ocorre ao fim de cada temporada. No total, 27 jovens não tiveram os contratos renovados.

Os dispensados foram Felipe Cardoso (2003), João Vitor Gasparin Torrezan (2005), Naydjel Callebe Boroski Struhschein (2005) e Wendel Alves Gonçalves (2005) e Caike Duarte Pereira da Silva (2005). A informação foi publicada inicialmente pelo jornal "O Dia".

Procurado pela reportagem, o vice-presidente da base, Victor Zanelli, não foi encontrado para dar esclarecimentos. A decisão aconteceu por determinação de supervisores, coordenadores e teve o aval do diretor da base, Eduardo Freeland. O clube confirmou a dispensa através da assessoria.

No dia em que o alojamento foi destruído no incêndio, 26 garotos estavam no Centro de Treinamento.

No dia oito de fevereiro fará um ano em que dez atletas da base morreram e três ficaram feridos.

Dos feridos, dois ainda treinam no clube, Cauan Emanuel e Francisco Dyogo. Jhonatha Cruz Ventura ainda se recupera das queimaduras sofridas no incêndio, mas já foi a campo para atividades leves.

Além destes seguem no clube os seguintes sobreviventes: Rayan Lucas, Kayque Soares, Pablo Ruan, Gabriel de Castro, Samuel Barbosa, Felipe Chrysman, Kennedy Lucas e Jean Sales.