Flamengo e Corinthians: os mais ajudados de todos os tempos

Blog do Savarese
Flamengo e Corinthians: os mais ajudados de todos os tempos

De toda a história da humanidade. E do Brasil também. E do Brasileirão, em qualquer formato, em qualquer campo contra qualquer adversário. Tanto é assim que quando eles casualmente são prejudicados, não passa de uma micro correção da bola a uma verdade óbvia: todo trio de arbitragem, a CBF, o governo, o FMI e a ONU agem para beneficiar Flamengo e Corinthians.

É essa a crença de muitos torcedores brasileiros, em especial os que preferem torcer contra Flamengo e Corinthians a engrossar as próprias torcidas nos estádios. Talvez por isso, e também por certa escandalização da mídia esportiva, os erros a favor da dupla mais popular do Brasil são gritados aos quatro ventos. Os erros que vão contra caem no mais profundo silêncio.

O motivo, na verdade, é simples: Flamengo e Corinthians são os clubes mais assistidos pela televisão. Suas partidas estão sob escrutínio pesado a cada fim de semana – ainda mais se estão nas cabeças. E a escandalização existe porque os intermináveis debates televisivos, mesmo sem serem feitos de torcedores inveterados, acabam contaminados pela grande maioria – e a maioria não torce para o Rubro-Negro nem para o Alvinegro.

Se o Flamengo tivesse vencido quem quer que fosse com um gol minimamente parecido com o marcado pelo Avai, com bola foríssima de campo segundos antes, seria prova cabal de apito amigo. Se o Corinthians não fosse salvo por Cássio em um lance de impedimento triplo do ataque do Fluminense, seria apenas um detalhe. Nem de longe os dois são perseguidos, mas o debate futebolístico parece render mais nos erros a favor dos dois.

Parte da pressão de jogar em Flamengo e Corinthians vem dessa discussão meio destrambelhada, de serem os mais beneficiados quando, na verdade, são apenas os mais vistos. Ou havia muita gente gritando contra o Vasco de Eurico Miranda quando ele proibiu transmissão de partidas em São Januário nos anos 90? Um jogador que atuou lá me disse certa vez: “Não tinha TV, então roubavam todo mundo na maior. Nunca nem empatei lá.”

O debate sobre erros de arbitragem é parecido com o de corrupção: quanto mais se vê, mais se suspeita do aumento. O que na verdade existe é mais atenção do que nunca, mais câmeras do que nunca e mais bla bla bla esportivo do que nunca. Não custaria um pouco mais de equilíbrio ao falar sobre os prejuízos que os mais populares vivem. Um pouco de honestidade intelectual não muda tabelas de campeonato, mas ao menos é mais adulto.