Flamengo investe em câmara de desinfecção para instalar no Ninho no fim de maio

Diogo Dantas
Equipamento personalizado pelo Flamengo

O Flamengo investe pesado na prevenção ao coronavírus, e encomendou uma câmara de desinfecção, responsável por eliminar vírus e bactérias com 99% de segurança.

A informação sobre a compra foi dada primeiramente pelo jornalista Venê Casagrande em seu canal no Youtube.

A reportagem apurou ainda que o equipamento se assemelha a uma máquina de raio-x e chegará ao clube no fim de maio, para ser usada no Ninho do Urubu.

Ate lá, o Flamengo pretende fazer o controle manual em jogadores e funcionários. E não condiciona a volta aos treinamentos à chegada da tecnologia.

A cãmara de deseinfecção é um dos ítens previstos no protocolo para volta do futebol no Rio. Ela também tem previsão de instalação nos três estádios que serão usados para o Campeonato Estadual no retorno.

Maracanã, São Januário e Nilton Santos devem ter uma máquina cada um. A ideia é que todos os profissionais que cheguem para trabalhar passem por ela.

O funcionamento se dá da seguinte forma: uma luz azul é emitida sobre a pessoa quando ela passa e para alguns segundos sob a câmara, que avisa quando o teste acaba.

O procedimento aconteceria na chegada ao Centro de Treinamento ou ao estádio. E tem por objetivo evitar que qualquer um leve o vírus para a área chamada pelos médicos de "Covid Free". Normalmente, a contaminação se dá na própria roupa ou calçado, que são desinfectados.

O equipamento já existe em hospitais no Rio de Janeiro e é utilizado para filtrar quem sai de um ambiente considerado infectado para o ambiente limpo. O custo estimado varia, mas pode chegar a R$ 100 mil.