Flamengo já queria Ceni antes de trazer Dome para repor saída de Jesus

Diogo Dantas
·1 minuto de leitura
Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro
Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

O namoro entre Flamengo e Rogério Ceni virou casamento rápido, pois o flerte não começou após a saída de Dome. Antes de repor a saída de Jorge Jesus com o técnico espanhol, a diretoria já havia sondado o então treinador do Fortaleza, e o via como opção que atendia aos requisitos de ideias de jogo e liderança.

Antes da apresentação de Dome no Ninho do Urubu, o vice de futebol Marcos Braz pediu apoio a jogadores e funcionários para que o estrangeiro tivesse uma boa adaptação. Explicou que a escolha se deveu a Dome ser um nome com grife mundial. Mas que poderia ter trazido Ceni ou outro técnico novo do mercado nacional.

Na ocasião, outra ala da diretoria estava entusiasmada em contratar Miguel Angel Ramirez, do Independiente Del Valle, mas Braz resistiu e viajou para a Europa para trazer a solução.

Depois da goleada para o mesmo Del Valle, na Libertadores, o dirigente bancou Dome e disse que sairia se trocassem o técnico. Agora, após novo resultado expressivo, contra o Atlético-MG, não teve força para bancar a manutenção. E foi logo atrás de uma solução que antes já era vista como viável: Ceni.