Flamengo joga mal, mas vê Michael brilhar para vencer o Atlético-GO no Maracanã

·1 min de leitura

Faltando pouco mais de três semanas para a final da Libertadores, o diagnóstico do Flamengo segue preocupante. Vence, como ontem por 2 a 0 diante do Atlético-GO, no Maracanã, mas segue apresentando um futebol pobre de ideias. A excelente notícia fica por conta de Michael, autor dos dois gols, que segue sendo o foco de qualidade que tem salvado a campanha rubro-negra neste Campeonato Brasileiro.

Com o resultado, o Flamengo sobe para a segunda colocação com 53 pontos, nove a menos que o líder Atlético-MG. De acordo com os cálculos são do professor Gilcione Nonato Costa, do Departamento de Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), as chances de título são de 5,4%. A verdade é que se há, é por causa de Michael.

Mais uma vez o Flamengo apresentou pouco repertório. O estilo adotado pelos comandados de Renato Gaúcho facilitou para o Atlético-GO, com muitos lançamentos longos dos zagueiros e jogadas pelas pontas. As principais jogadas rubro-negras vinham de individualistas de Michael e Isla. Curiosamente, foi dos pés da dupla que nasceu o primeiro tento — Everton Ribeiro esperou a ultrapassagem do lateral, que cruzou para o atacante estufar as redes.

Mesmo após o tento, o Flamengo seguiu se portando de forma desajustada, com erros de passe aos montes e lançamentos sem sentido. Felizmente, estava enfrentando o 3º pior ataque do Brasileiro.

Até que Michael apareceu para decidir. De novo iniciando a jogada com talento individual, tabelando com Gabigol e marcando o segundo. O momento é de festa pela boa fase do camisa 19, mas será preciso mais para a final da Libertadores.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos