Flamengo notifica agência que vendeu pacotes para a final da Libertadores cujos voos fretados foram cancelados

Centenas de torcedores do Flamengo aguardavam no Aeroporto do Galeão, na manhã desta quinta-feira, serem realocados em voos comerciais após o cancelamento dos voos fretados contratados pela agência Outsider, nova patrocinadora do clube, para a final da Libertadores contra o Athletico, em Guayaquil. O clube já está tomando pé da situação.

Segundo o GLOBO apurou, a empresa está sendo notificada para prestar esclarecimentos e atender aos clientes. Ainda é cedo para saber da real extensão do problema e se é possível reparar ou não, ou seja, se todos chegarão ao seu destino ou não. Quando o clube souber os detalhes totais pretende se posicionar de forma efetiva. Agora, o que tem feito é cobrar a empresa para que resolva os problemas.

O Procon-RJ também foi acionado e está, no momento, na sede da empresa na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio.

Cerca de dois mil rubro-negros compraram pacotes entre R$ 10 mil e R$ 15 mil pela empresa e alguns foram informados na noite de quarta-feira, por meio de grupos de WhatsApp, de que não haveria mais o fretamento.

Na manhã desta quinta-feira, torcedores reclamavam da falta de informação por parte da empresa, que alegou que os fretamentos foram cancelados por uma subsidiária da Latam por causa do risco de erupção do vulcão Cotopaxi, no Equador. A Latam, no entanto, nega que tenha fechado qualquer contrato com a Outsider.

— Meu voo estava marcado para as 9h da manhã de hoje (quinta-feira). Ontem, às 15h, eles criaram grupos de WhatsApp, em que só o administrador podia mandar mensagem. Alguém que se identificou como do jurídico da empresa explicou que a subsidiária da Latam tinha recusado voar por causa do vulcão. Depois, veio outra informação da empresa que os aviões eram da Europa e não tiveram autorização da ANAC. Nos prometeram resolver tudo ainda ontem, mas à noite só algumas pessoas foram realocadas a 1h da manhã — conta o roteirista Nelito Fernandes.

No aeroporto, torcedores revoltados cobraram uma solução da empresa e reclamaram que não está sendo dada a opção de estorno do valor pago. A agência se comprometeu a realocar todos os torcedores entre esta quinta-feira e sábado, dia da partida em Guayaquil. Os voos comerciais, no entanto, não são diretos como seriam os fretados. Alguns estão indo via Panamá.

— Há torcedores que vieram de Brasília, do Norte do país e não embarcaram no dia prometido. Estão oferecendo opções de fazer bate e volta. Há pessoas que não querem isso e preferem pegar o dinheiro de volta — diz Fernandes.

A LATAM não fechou nenhum contrato com esta operadora para a final do torneio em Guayaquil. A LATAM, aliás, não programou nenhum voo regular ou fretado do Brasil para o Equador.

Enquanto isso, o conselheiro do Flamengo Haroldo Couto, que organizou outros voos, disse que conseguiu 30 passagens via Panamá para que os que se sentirem prejudicados ainda tenham uma solução para ver a final. O custo seria de R$ 9.990,00 com seguro viagem incluído ou 6 X R$ 1.990,00 com taxa de embarque, e a necessidade de passaporte.