Flamengo, Palmeiras e Atlético-MG: Como 'trio de ricos' se movimentou no mercado e começa 2023

Dois dos clubes mais vencedores das últimas temporadas, Flamengo e Palmeiras medirão forças pela primeira vez em 2023 no próximo dia 28, em Brasília, pela Supercopa do Brasil. Embora a expectativa pelo confronto seja alta, os torcedores não devem ver muitas novidades. Até pelo fato de viverem fases vencedoras, nenhum deles foi ao mercado com muito ímpeto. A maior força está na manutenção da base altamente competitiva.

O Flamengo foi o único que apresentou reforços. Além do acerto com o goleiro argentino Rossi, que se apresentará em julho, contratou o técnico Vítor Pereira, ex-Corinthians, e repatriou o meia Gerson, que estava no Olympique de Marselha, da França. Este chega com talento e identificação com o clube já conhecidos. Já o segundo ainda precisará fazer o grupo entender sua proposta.

Neste sentido, pode-se dizer que o Palmeiras sai na frente. Sem contratações, o atual campeão brasileiro investiu em renovações. Acertou as permanências de Dudu e de Raphael Veiga, peças-chave para o esquema do técnico Abel Ferreira. Também reforçou os vínculos do zagueiro Luan e do lateral Mayke e já negocia com o atacante Rony.

O único revés foi a saída de Gustavo Scarpa, que preferiu não renovar e se transferir para o Nottingham Forest, da Inglaterra. O meia fez em 2022 a melhor temporada de sua carreira. A ver como o time reagirá com sua ausência. Já do lado rubro-negro, a perda mais significativa é a de Rodinei, titular da lateral direita na última temporada. Com sua saída, o uruguaio Gustavo Varela deve ganhar mais oportunidades.

Situação totalmente inversa vive o Atlético-MG, outro integrante do trio de elencos mais fortes do país. O clube passou por uma movimentação que buscou reforçar o plantel devido às perdas sofridas e também recuperar o caminho das vitórias após um 2022 irregular.

As principais chegadas foram o técnico Eduardo Coudet, os meias Edenilson e Igor Santos, o atacante Paulinho, o zagueiro Bruno Fuchs e o lateral Paulo Henrique. Além de Cuca, saíram o lateral Guga, o atacante Keno, o meia Nacho Fernández, o volante Jair e o zagueiro Junior Alonso.

Embora tenha reposto as perdas, o Galo é a grande incógnita da temporada. Sua temporada depende do encaixe de todas as novas peças. Incluindo o próprio técnico.