Flamengo quer manter supremacia contra Fluminense, que busca seguir bom rendimento em clássicos de 2020

Marcello Neves
·3 minuto de leitura

A irregularidade tem sido algo em comum entre o Flamengo de Rogério Ceni e o Fluminense de Marcão. Mas o retrospecto recente das equipes em clássicos como o da próxima quarta-feira, às 21h30, no Maracanã, separa bastante os dois clubes. Por sinal, este é um ponto que chama a atenção neste Fla-Flu: o rubro-negro manterá a sua soberania em Brasileiros ou o tricolor conseguirá superar a sua principal pedra no sapato?

Na terceira colocação do campeonato, com 49 pontos — sete a menos que o líder, São Paulo —, o Flamengo encerrou 2020 com um empate sem gols com o Fortaleza, no Castelão. Na abertura do novo ano, encontra um conhecido contra quem coleciona bons resultados no torneio: já são quatro anos sem ser derrotado pelo adversário tricolor.

A contagem vem desde 26 de junho de 2016, pela 11ª rodada. Na ocasião, o revés foi por 2 a 1, com gols de Richarlison e um contra de Willian Arão; Paolo Guerrero descontou. De lá para cá, em oito jogos, ao todo, o Flamengo ostenta uma invencibilidade de cinco vitórias e três empates.

Marca defensiva

O clássico também será importante para solidificar o sistema defensivo rubro-negro, setor mais frágil da temporada, e tentar sair de campo sem levar gols. Se isto ocorrer, será a primeira vez que o Flamengo ficará duas partidas seguidas sem ser vazado neste Brasileiro.

Na partida mais recente, diante do Fortaleza, o sistema defensivo — formado por Rodrigo Caio e Natan — não tomou gols. A dupla de zagueiros também carrega um ótimo retrospecto: atuando juntos, eles ainda não perderam. Caso passem em branco, seria o sexto jogo neste Brasileiro onde o Fla venceria sem ser vazado. Os anteriores ocorreram diante de Coritiba (vitória por 1 a 0), Santos (1 a 0), Sport (3 a 0), Botafogo (1 a 0) e Fortaleza (0 a 0). No entanto, nenhum deles em sequência.

Para o clássico, Michael está sem dores no joelho e deu o passo final na recuperação. Com isso, a expectativa é que o atacante retorne. Por precaução, Michael foi desfalque no último jogo e vinha fazendo apenas um trabalho de fortalecimento muscular na academia. Ontem, na reapresentação do elenco, avançou e foi ao gramado para treinar junto aos fisioterapeutas.

Já Diego Alves sequer foi a campo, uma vez que segue tratando de uma lesão na coxa direita, na parte interna do CT. O veterano goleiro, que renovou até o fim de 2021, será substituído por Hugo Neneca.

Flu quer melhorar

Do outro lado, o Fluminense se motiva por dois fatores. Primeiramente, o fato de, incluindo as competições estaduais, ter três vitórias contra o Flamengo — todas elas em jogos pelo Campeonato Carioca.

Em janeiro de 2020, quando venceu uma equipe formada por atletas da base rubro-negra; em 2019, na semifinal da Taça Guanabara; e em 2018, quando goleou por 4 a 0 na Arena Pantanal.

O outro é que o Fluminense teve bom retrospecto em clássicos no ano anterior. Diante Vasco e Botafogo, por exemplo, não foi derrotado e somou 77% de aproveitamento diante dos cruz-maltinos e 55% contra alvinegros. Resta saber se a equipe do técnico Marcão, substituto de Odair Hellmann, conseguirá repetir tal desempenho agora contra o Flamengo.

O Fluminense também pode fechar a temporada com o melhor aproveitamento contra os rivais desde 2012 — quando conquistou os títulos do campeonato Carioca e Brasileiro. Em 2020, a porcentagem é de 47,6% em 14 partidas disputadas e faltando dois clássicos (este contra o Flamengo e outro diante do Botafogo, pelo Brasileiro).

Se vencer, chegará somará 54,2% no total e irá superar os 44% de 2014 e 2015.

Para o clássico, o Fluminense terá dois reforços para o primeiro jogo de 2021. O zagueiro Luccas Claro e o atacante Luiz Henrique deixaram a transição, treinaram normalmente com bola junto com os demais jogadores e estão à disposição.

Outro que não deve ser problema é Nenê. Poupado do jogo contra o São Paulo por desconforto na panturrilha direita, o veterano meia tem treinado normalmente desde a reapresentação, no dia 1º. Com isso, deve ser titular.