Flamengo: receita bruta de R$ 668 milhões em 2020 não evita déficit

Igor Siqueira
·2 minuto de leitura

Um clube arrecadar R$ 668 milhões em um ano de pandemia não aparenta, por si só, ser um problema. Mas olhar apenas para uma linha no balanço passa longe de ser suficiente para analisar o desempenho financeiro ao longo da temporada. No caso do Flamengo, o montante bruto contabilizado não evitou o déficit de R$ 106,9 milhões.

O Flamengo não está à beira do caos. A virada do ano foi com cerca de R$ 51 milhões em caixa, por exemplo. Mas o clube não pode se dar ao luxo de investir de forma desordenada e perder o controle financeiro, crucial para o sucesso esportivo recente.

Uma preocupação desde 2020 foi reduzir custos, mas o clube atingiu um porte tão robusto que os cortes feitos ao longo do ano foram insuficientes para evitar o saldo negativo nas demonstrações financeiras.

"Atingimos um patamar de receitas bastante elevado para os padrões do mercado brasileiro e mantivemos nosso grau de endividamento em níveis compatíveis com a nossa capacidade de pagamento", escreveu o presidente do Fla, Rodolfo Landim, em carta anexa às demonstrações financeiras.

A mudança do calendário de 2020 empurrou para os dois primeiros meses de 2021 cerca de R$ 88 milhões em premiação e direitos de transmissão, segundo o Flamengo. Nas contas do clube, a receita, então, chegaria a R$ 756 milhões o dinheiro referente à temporada 2020 fosse lançado no balanço fechado até 31 de dezembro. Mas contabilmente isso não é possível. Os R$ 88 milhões vão ser lançados oficialmente nas demonstrações financeiras de 2021.

Como a falta de público nos estádios (perda de bilheteria e no sócio-torcedor) e a frustração desportiva na Libertadores, principalmente, o Flamengo, de qualquer forma, viu-se distante do auge de arrecadação que teve em 2019: R$ 950 milhões.

- Li as demonstrações financeiras de 2020 e considero a situação sob controle. Déficit neste ambiente atual é normal. Com credibilidade, auditoria de primeira linha, gestão eficaz do caixa e seriedade no trato do assunto pelo Landim e Tostes (vice de finanças), estou confortável. Se o marketing melhorar, vamos decolar de novo em breve - publicou Wallin Vasconcellos, ex-vice de finanças rubro-negro, no Twitter.