Flamengo supera desfalques e vence o Junior na estreia da Libertadores

Diogo Dantas

É Libertadores. E como não poderia deixar de ser, nem o atual campeão Flamengo escaparia facilmente de uma estreia complicada fora de casa. Sobretudo pelos quatro titulares que desfalcaram a equipe na vitória sobre o Junior Barranquilla, por 2 a 1. Resultado marcante por não ter sua força máxima, e por se superar em 90 minutos.

Na Colômbia, o time de Jorge Jesus apresentou um futebol abaixo do que tem jogado, muito por conta das ausências de Rodrigo Caio, Arão, Rafinha e Bruno Henrique. Mas demonstrou maturidade. Para o seu bem, o Flamengo teve Éverton Ribeiro com o pé em dia. O capitão rubro-negro, que estava zerado na temporada, fez um gol no princípio e outro no fim, fazendo o Flamengo começar com o pé direito. Téo Gutierrez diminuiu.

- A gente conseguiu ser fatal, as bolas que tivemos conseguimos resolver o jogo - afirmou Ribeiro.

Com o resultado, o time lidera o Grupo A com três pontos, ao lado do Independiente del Valle, que venceu o Barcelona por 3 a 0 e aparece na frente na tabela. O próximo adversário é justamente o Barcelona, no Maracanã.

Para superar a pressão adversária, o Flamengo contou com boa atuação de Thiago Maia, que conseguiu boas transições, passes e teve firmeza na marcação. As demais ausências foram sentidas sobretudo pelo falta de um melhor e maior controle de jogo, dificultado pelo pouco entrosamento da defesa.

O jovem João Lucas, que substituiu Rafinha, sentiu o peso da partida. Do outro lado, o experiente Filipe Luís acabou sobrecarregado, mesmo com o gol marcado cedo, que deu a impressão que o jogo seria fácil. Ao marcar com Éverton Ribeiro, após boa jogada de Vitinho para Arrascaeta, o Flamengo viu o time da casa dar tudo de si por uma reação. E errou bastante. Gerson, duas vezes, quase entregou o empate. Diego Alves salvou.

Sem Bruno Henrique, Gabigol e Vitinho não conseguiram exercer a pressão desejada. No segundo tempo, foi o Junior Barranquilla se atirou ao ataque. Um bom teste para a dupla de zaga que chegou este ano. Gustavo Henrique e Léo Pereira se livraram bem dos perigos, muito por conta da linha de marcação mais recuada do Flamengo. A entrada de Michael deu o desafogo que faltava. E Gabigol recuou para puxar o contra-ataque fatal que terminou com novo arremate do capitão com categoria.