Flamengo tentou contratar Roberto Dinamite? Entenda

Maior ídolo da história do Vasco, Roberto Dinamite por pouco não vestiu a camisa do Flamengo, maior rival do cruz-maltino. A negociação, que poderia ter mudado o status do futebol carioca na década de 1980, terminou com final feliz para o cruz-maltino, que foi rápido no movimento para tirar o ídolo da rota dos rivais. O ícone cruz-maltino morreu neste domingo, vítima de um câncer, aos 68 anos.

Longa amizade: Roberto Dinamite fez Zico até vestir camisa do Vasco

Adeus ao ídolo: Jornais estrangeiros repercutem morte de Roberto Dinamite

Após quase dez anos de Vasco e a conquista de um Brasileiro e um Carioca, um jovem Roberto decidiu que era a hora certa para trocar o futebol brasileiro pelo europeu, naquela que seria sua única experiência fora do país na carreira, aos 25 anos. Foi ao Barcelona em janeiro de 1980 , em negociação vantajosa para o clube de São Januário. Mas o sonho não durou muito: a passagem conturbada acabaria em três meses.

O atacante teve poucas oportunidades, não conseguiu se adaptar e perdeu espaço nos blaugranas — marcou três gols em 11 jogos. Incomodado, estava disposto a deixar o futebol do país, e logo se depararia com uma oferta do rubro-negro. O então presidente do clube, Márcio Braga, foi à Espanha negociar com o ex-vascaíno.

— Queríamos trazer o Roberto para o Flamengo. Ele topou. Mas tinha um grande problema: 700 mil dólares (risos). O Roberto já tinha recebido a parte dele na negociação com o Barcelona, mas o Vasco nada. Eles tinham que pagar os 700 mil dólares para o Vasco. A verdade é que não tínhamos dinheiro. Aí disse que iria embora para o Brasil. Arrumei as malas e fui para o aeroporto. Quando chego lá, quem encontro? O Juan Gaspar (Barcelona), sua secretária e uma máquina de escrever. Fizemos ali mesmo no aeroporto um pré-contrato. Ficou fechado. Voltei para o Brasil para conseguir o dinheiro — contou Braga ao site "ge", em 2020.

Luva de Pedreiro lamenta: 'nunca vou esquecer o que fez por mim'

'Eternamente obrigado': Casimiro presta homenagem a Dinamite

Roberto chegou a falar publicamente sobre a contratação, comemorando um possível retorno ao Rio. Mas o Vasco ainda entraria na jogada, sob pressão e revolta de torcedores. Eurico Miranda, então assessor especial da presidência do Vasco, foi à Espanha tentar fazer Dinamite e a então esposa e empresária, Jurema, mudarem de ideia.

"O Márcio Braga foi lá e conseguiu que ele viesse para o Flamengo. O Dinamite ia fazer dupla com o Zico e o c****[...] Fui lá e fiz uma m**** sem tamanho para reverter a situação [...] Esculhambei os caras do Barcelona [...] O que ele tinha assinado lá, eu rasguei aquela m**** toda", contou Eurico, em conversa reproduzida no livro “O Futebol Como Ele É”, do colunista do GLOBO Rodrigo Capelo, da editora Grande Área.

No fim, uma possível dupla com o amigo e rival nos gramados Zico nunca aconteceu. O Vasco conseguiu que a quantia financeira devida pelo clube espanhol na negociação por Dinamite fosse fator decisivo na transferência do ídolo de volta a São Januário. Dinamite jogou o Brasileirão de 1980 e marcou 8 gols. Ainda seria campeão carioca outras quatro vezes com a camisa cruz-maltina.

No primeiro jogo no Maracanã após o retorno, Roberto faria uma das maiores atuações da carreira e da história do futebol brasileiro: marcaria os cinco gols da vitória por 5 a 2 sobre o Corinthians. Fez valer, e muito, o esforço do Vasco em tê-lo de volta.