Flamengo vê crise do coronavírus dificultar renovação de Jesus e outras receitas

Diogo Dantas

Como todo o futebol brasileiro, o Flamengo parou em função da pandemia do novo coronavírus. Ainda mais pela suspeita de contaminação de Jorge Jesus. Se o terceiro exame divulgado ontem deu resultado negativo e trouxe certo alívio após dois testes inconclusivos, outras preocupações envolvendo o seu técnico de futebol e assuntos relacionados às finanças se apresentam como desafios.

O principal deles ainda é o valor pedido pelo português para renovação do contrato que vence em maio. A diretoria e o representante do técnico não conseguiram avançar nas conversas de forma satisfatória. Não apenas pela dificuldade com os encontros pessoais, mas principalmente pela distância enorme entre as propostas salariais de lado a lado.

Já ciente de que a pedida na ordem de 7 milhões de euros por ano é inviável, o Flamengo ainda se depara com o aumento da moeda estrangeira, e está diante da necessidade iminente de rever seu orçamento com perdas de bilheteria e sócio-torcedor. Dessa forma, a estratégia prevista é começar a pensar em uma opção, e também apostar que Jesus não terá projeto esportivo mais relevante para assumir este ano na Europa.

Os contatos virtuais entre o vice de futebol do Flamengo, Marcos Braz, o diretor Bruno Spindel, e Bruno Macedo, advogado de Jorge Jesus, seguem a todo vapor, ainda sem encontrar um denominador comum na parte financeira.

Amazon incerta

Além da queda de receita pela falta de jogos, outro recurso importante ameaçado é o patrocínio da empresa Amazon, que estava em fase final de acordo. A marca entraria no espaço nobre do uniforme onde hoje se encontra o banco digital BS2, e pagaria até R$ 38 milhões por temporada. O departamento de marketing ainda não confirmou o desfecho positivo.

Por outro lado, o Flamengo trata como certa a renovação da concessão do Maracanã, que vence em abril. Mesmo que já esteja debruçado sobre prejuízos pela falta de jogos da Libertadores e das finais do Estadual, o clube será o administrador do estádio ao lado do Fluminense a partir do próximo mês. Falta apenas a publicação de edital pelo Governo do Estado do Rio.

A esperança é recuperar os ganhos no segundo semestre, com o retorno das principais competições. O departamento médico do Flamengo orientou os jogadores a aplicarem uma cartilha de férias com atividades físicas leves em casa. Os atletas aproveitaram para gravar vídeos com informações preventivas sobre os cuidados com a transmissão do novo coronavírus. Os treinos foram cancelados por 15 dias, por enquanto.