Flamengo vence o Athletico e conquista tri da Libertadores

Gabriel Barbosa comemora o gol que deu o título do Flamengo (Foto: Rodrigo Buendia/AFP via Getty Images)
Gabriel Barbosa comemora o gol que deu o título do Flamengo (Foto: Rodrigo Buendia/AFP via Getty Images)

A América do Sul é rubro-negra novamente! O Flamengo conquistou seu terceiro título da Conmebol Libertadores ao bater o Athletico por 1 a 0 neste sábado (29), no Estádio Monumental Isidro Romero Carbo, em Guayaquil (Equador).

Assim como em 2019, quando a equipe conquistou seu segundo título continental, o herói foi Gabriel Barbosa. Se em Lima ele marcou duas vezes no fim do segundo tempo para virar contra o River, desta vez ele aproveitou cruzamento de Everton Ribeiro para abrir o placar nos acréscimos da etapa inicial.

É o terceiro título do Flamengo na história da competição. O primeiro veio em 1981, quando Zico e companhia bateram o Cobreloa, do Chile, no jogo desempate em Montevidéu, no Uruguai. Já a segunda conquista foi em 2019, com os dois gols de Gabigol contra o River Plate.

Com a conquista, o Flamengo se iguala aos brasileiros com mais títulos na competição: São Paulo (1992, 1993 e 2005), Santos (1962, 1963 e 2011), Grêmio (1983, 1995 e 2017) e Palmeiras (1999, 2020 e 2021).

O jogo

Após um início de jogo equilibrado, o Athletico chegou bem aos 11 minutos. Vitinho desarmou David Luiz e bateu para a defesa de Santos. No escanteio, a bola sobrou para Alex Santana, que dominou e bateu de voleio, mas acabou mandando por cima do gol.

Com uma marcação bem encaixada, o Athletico conseguiu segurar o ímpeto do Flamengo, forçando os cariocas a tocarem bastante a bola tentando achar espaços que não existiam na defesa do Furacão.

Perto do fim do primeiro tempo, tudo mudou. Já amarelado, o zagueiro Pedro Henrique fez uma falta perto da área e acabou expulso pelo segundo cartão. Nos acréscimos, Everton Ribeiro tabelou com Rodinei e cruzou na área, Gabriel Barbosa chegou para completar com o pé esquerdo. Com o gol, o atacante se tornou o brasileiro com mais gols na história da competição.

A primeira chance do segundo tempo veio logo aos 5 minutos. Gabigol foi lançado na área e Bento precisou fazer uma ótima defesa para evitar o segundo gol do Flamengo. Aos 15, a segunda boa chance do Rubro-Negro. Pedro recebeu de Arrascaeta na área e viu Bento adiantado, mas o chute foi desviado por Matheus Felipe e foi para fora.

Precisando do empate, Felipão mudou o trio de ataque para tentar alterar a situação. Vitor Bueno, Vitinho e Vitor Roque deixaram o campo para as entradas de Canobbio, Rômulo e Pablo. O Furacão até conseguiu levar a bola até ao ataque mais vezes, mas não conseguiu criar chances reais de gol.

Aos 36, Terans chutou de fora da área, Santos deu rebote para o meio da área e Canobbio foi ao chão após disputa com Ayrton Lucas. O árbitro Patricio Loustau mandou o jogo seguir e teve a decisão confirmada pelo árbitro de vídeo.

Já na virada para os acréscimos, o Athletico teve falta em ótima posição na entrada da área. Terans bateu bem de esquerda, mas Santos foi firme para segurar e garantir a vantagem da equipe carioca.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO x ATHLETICO
FINAL DA LIBERTADORES DA AMÉRICA

Local: Estádio Monumental Isidro Romero Carbo, em Guayaquil (Equador)
Data/Horário: 29/10/2022, às 17h (horário de Brasília)
Árbitro: Patricio Loustau (ARG)
Assistentes: Diego Bonfá (ARG) e Ezequiel Brailovsky (ARG)
Árbitro de Vídeo: Mauro Vigiliano (ARG)

Cartões amarelos: De Arrascaeta, Vidal (FLA), Pedro Henrique, Alex Santana, Rômulo (CAP)
Cartões vermelhos: Pedro Henrique (CAP)

Gols: Gabriel Barbosa (1-0, 49’/1T)

FLAMENGO

Santos, Rodinei, David Luiz, Léo Pereira e Filipe Luís (Ayrton Lucas, 19’/1T); Thiago Maia (Vidal, 25’/2T), João Gomes, Everton Ribeiro e De Arrascaeta (Victor Hugo, 37’/2T); Gabriel Barbosa (Everton Cebolinha, 37’/2T) e Pedro. Técnico: Dorival Júnior.

ATHLETICO

Bento, Khellven, Pedro Henrique, Thiago Heleno, Abner Vinicius; Fernandinho, Hugo Moura, Alex Santana (Matheus Felipe, INT); Vitor Bueno (Canobbio, 11’/2T), Vitinho (Rômulo, 11’/2T), Vitor Roque (Pablo, 19’/2T). Técnico: Luiz Felipe Scolari.