Flamengo vence o Tolima com gol de Andreas em despedida melancólica e atuação sofrível

A aposta por uma equipe experiente diante dos muitos desfalques até deu ao Flamengo a vitória na primeira partida das oitavas de final da Libertadores, contra o Tolima, na Colômbia. Mas, apesar do 1 a 0, a atuação foi sofrível. Na quarta-feira que vem, no Maracanã, o time passa às quartas de final com um empate.

O resultado na Colômbia com gol de Andreas Pereira, jogador que se despede da equipe nesta quinta-feira, quando termina seu empréstimo, foi bom, mas melancólico. Enquanto um jovem meia de 25 anos sai em alta, tendo recebido até a faixa de capitão nos minutos finais, o Flamengo mandou a campo uma equipe com Diego, 37 anos, e Filipe Luis, 36, dois que não conseguiram produzir em alto nível.

Além de Andreas, o Flamengo teve como destaque o lateral Rodinei, principal válvula de escape para uma equipe que se limitou a suportar a pressão, pois não tinha jogadas de velocidade nem atacantes para reter a bola. O zagueiro Léo Pereira também teve atuação que vale a menção, com desarmes precisos e por salvar uma bola em cima da linha.

Sem Bruno Henrique, Dorival optou por manter a trinca de volantes e três atacantes mais leves e móveis. Só que o único a criar foi Éverton Ribeiro, nas combinações com Rodinei. Arrascaeta, mais adiantado, não fez bom papel na parceria com Gabigol. O resultado foi um time com dificuldades de sair de trás, que apostava nos chutões, e não ficava com a bola.

O cenário mais favorável se deu apenas no começo da partida, com as jogadas criadas pelo lado direito. No mais, o Flamengo sofreu na transição ofensiva e foi sufocado pelos pontas, que forçaram jogada sobretudo em cima de Filipe Luís. O lateral voltou a ser utilizado mesmo sem vigor para fechar espaços na defesa e ajudar na construção.

Aí apareceu o goleiro Santos, que fez boas defesas nos dois tempos. Em uma bola que falhou, Léo Pereira evitou o empate. A partida de Diego Ribas é capítulo à parte e explica muita coisa sobre o que se viu em campo. O capitão não fez bem a saída de bola, errou passes e não conseguiu levar o time para frente, além de marca mal e não acompanhar a transição defensiva. O Tolima teve muito espaço para chegar, e não empatou porque errou as finalizações. Nas escapadas de Rodinei, o Flamengo tentou ampliar, mas pecou no último passe.

No segundo tempo, Diego e Filipe saíram, para as entradas de Lázaro e Ayrton Lucas. O Flamengo passou a ter o corredor esquerdo também como opção de fuga. Mesmo assim, aproveitou pouco. Marinho também entrou para desafogar Arrascaeta, mas o uruguaio seguia se arrastando. Os últimos a saírem foram Gabigol e Rodinei, para as entradas de Pedro e Matheuzinho. Com nenhuma formação o Flamengo conseguiu impor seu jogo e ser fatal na hora de chegar ao ataque. Desta vez, nem Arrascaeta deu o ar da graça.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos