Flamenguistas repetem superstições do título de 2019 para vencer Libertadores: 'uso a mesma cueca sem lavar'

Vale tudo para ver o time do coração ser tricampeão da Libertadores! Ficar com a mesma camisa em todos os jogos sem lavar, se negar a beber um chope gelado, usar a mesma calcinha nas finais, vestir a mesma cueca desde o título de 2019, não tirar uma touca de lã mesmo que esteja um calor de 30º, não assistir o jogo ou evitar sair às ruas para não correr o risco de ver animais que sejam mascotes de outros clubes. Torcedores flamenguistas revelam os segredos do tão esperado título de 2019, que esperam que dê certo também neste sábado em Guayaquil contra o Athletico-PR. Maria Carolina Terra tem certeza que o título de 2021 não veio porque ela trocou a camisa das finais e concordou da bebida da galera não ser cerveja.

A Rubro-Negra de 26 anos não nega as superstições, segue fielmente os mesmos passos do pai Cadu de 51 anos para não atrapalhar o Flamengo:

— A principal é com roupa, eu uso a mesma roupa desde o começo do campeonato. Mesma calça, camisa, meia, calcinha, tênis, mesmo tudo. Em 2021 eu usei uma roupa diferente na final e deu tudo errado, tava com a mania de cada vez que ia no Maracanã usava uma blusa diferente e perdemos — lamentou a derrota do Flamengo para o Palmeiras na prorrogação da final da Libertadores por 2 a 1, em Montevidéu, no Uruguai.

Além das vestimentas, um fator importante para a filha Carol e o pai Cadu é a primeira coisa que eles veem nas ruas em dias de jogo do clube carioca. No bicampeonato continental logo que acordou ela viu um urubu no prédio em frente ao dela, ali sabia que o Flamengo seria campeão da Libertadores:

— Eu fico sempre torcendo para ver urubu ou uma camisa do Flamengo, toda vez que vejo primeiro a do outro time a gente perde. Eu cheguei a fazer uma lista de notas porque meu namorado me pediu, ele achava que era coincidência e eu falei 'cara, não é'. Provei para ele. Meu pai também, em um jogo contra o Corinthians a primeira coisa que ele viu foram duas pessoas com a camisa deles e a mulher dele ainda mostrou um gavião na rua. Nem o jogo ele quis ver porque tinha certeza que ia perder — conta Maria Carolina.

O que vai ser feito no dia também tem que ser levado em consideração, se não é azar na certa:

— Toda vez que eu bebo chope em final do Flamengo ele perde, foi exatamente o que aconteceu na final do Mundial em 2019, a final da Libertadores em 2021, a final da Supercopa contra o Atlético-MG. Tem que evitar, não da! Podem até ser coisas bobas, mas se eu seguir me fazem ficar mais calma — afirmou.

No Twitter alguns torcedores compartilham trends com os ritos que precisam ser seguidos. Caso ao contrário, o torcedor que quebrar as correntes pode se considerar culpado por tirar o título da nação Rubro-Negra.

"Vamos usar a mesma camisa que assistimos a final de 2019", disse um internauta. "Usei a mesma em todos os jogos da Libertadores sem lavar", respondeu outro.

"Eu não uso camisa do Flamengo em decisões, tenho uma que só penduro ela no ombro e visto depois do jogo. Meu pai me deu ela eu tinha 14 anos, estou com 28", disse um seguidor. "Eu não vou usar camisa, se eu usar o Flamengo perde. Na final da Libertadores de 2019 só ganhou quando meus amigos me fizeram tirar o manto, minutos depois o Gabigol fez os gols", comentou mais um aos risos. Em anônimo, outro seguidor fez uma revelação: "estou com a mesma cueca desde a última disputa, só tiro se ganhar".