Flapper entra em um novo negócio: venda de aviões e helicópteros usados

A Flapper, plataforma de aviação executiva sob demanda, vai entrar em um novo negócio: marketplace de compra e venda de jatos e helicópteros usados. O objetivo é aproveitar a demanda de endinheirados em busca de uma aeronave para chamar de sua, tendência que ganhou força na pandemia.

A plataforma vai começar em agosto com 50 aeronaves, entre elas modelos como o Embraer Phenom 300. Inicialmente, os aviões serão vendidos diretamente pelos proprietários, mas o plano é plugar a plataforma a sites estrangeiros, mas oferecendo suporte no Brasil e transação em moeda local.

— No Brasil, esse mercado é muito “prostituído”, feito de maneira amadora. A gente que agregar demanda e oferta e oferecer consultoria para quem quer comprar. Nossa ambição é ser uma espécie de one-stop-shop desse universo — diz o polonês Paul Malicki, CEO e co-fundador da Flapper que veio para o Brasil há oito anos como diretor da EasyTaxi.

De acordo com Malicki, “apenas 3% da frota mundial estão à venda”, escassez que representa uma oportunidade para a Flapper, diz.

No mercado desde 2016, a companhia vende voos executivos por meio de fretamentos e assentos compartilhados em empresas de táxi aéreo. O novo braço será tocado por Giampiero Colognori, que passou pelas brasileiras Avantto e Infinity Aviação.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos