Flávio Bolsonaro acionará Kajuru no Comitê de Ética por conversa divulgada

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Flávio Bolsonaro considerou que houve quebra de decoro por parte de Kajuru (AP Photo/Eraldo Peres)
Flávio Bolsonaro considerou que houve quebra de decoro por parte de Kajuru (AP Photo/Eraldo Peres)
  • Filho de Bolsonaro entrará com representação contra Kajuru ainda nesta segunda-feira

  • Ele considerou que houve quebra de decoro do ex-apresentador ao divulgar conversa com Jair Bolsonaro

  • No último domingo, Kajuru publicou áudio em que Bolsonaro pedia para ampliar a CPI da Covid e apurar a conduta de prefeitos e governadores

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) apresentará uma representação contra seu colega Jorge Kajuru (Cidadania-GO) na Comissão de Ética. O motivo é a conversa com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) divulgada pelo ex-apresentador.

De acordo com informações do UOL, a expectativa é de que Flávio acione Kajuru ainda nesta segunda-feira, um dia após o vazamento do áudio da conversa por parte do ex-apresentador.

Leia também

Filho de Jair, Flávio considera que Kajuru quebrou o decoro parlamentar ao divulgar o bate-papo com o presidente.

Entenda o caso

O presidente Jair Bolsonaro pediu ao senador Jorge Kajuru em conversa gravada e publicada pelo congressista em redes sociais, para ampliar a CPI da Covid e apurar a conduta de prefeitos e governadores.

Bolsonaro disse que, se os senadores não mudarem o escopo da CPI, ampliando para investigar as ações de governos regionais também, será investigada apenas o governo federal e aliados. Segundo ele, vão ouvir "só gente nossa" para produzir "relatório sacana".

Bolsonaro teve sua conversa com Kajuru divulgada (AP Photo/Eraldo Peres)
Bolsonaro teve sua conversa com Kajuru divulgada (AP Photo/Eraldo Peres)

"Se não mudar a amplitude, a CPI vai simplesmente ouvir o Pazuello, ouvir gente nossa, para fazer um relatório sacana. Tem que fazer do limão uma limonada. Por enquanto, é um limão que tá aí. Dá para ser uma limonada", disse ao senador. Bolsonaro afirmou que o objetivo do autor da CPI, que disse não saber quem é, "é investigar omissões do governo federal na Covid".

Segundo Bolsonaro, uma CPI "realmente útil" ao país precisaria ser mais ampla. Na gravação, ele deixa claro a vontade de incluir "governadores e prefeitos" no escopo da apuração.

"A CPI hoje é para investigar omissões do presidente Jair Bolsonaro, ponto final. Quer fazer uma investigação completa? Se não mudar o objetivo da CPI, ela vai vir só pra cima de mim. O que tem que fazer para ser uma CPI que realmente seja útil para o Brasil? Mudar a amplitude dela. Bota governadores e prefeitos. Presidente da República, governadores e prefeitos", afirmou.