Flávio Bolsonaro afirma que 'golpe militar nunca foi cogitado'

Flávio Bolsonaro ao lado do pai, Jair Bolsonaro (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Flávio Bolsonaro ao lado do pai, Jair Bolsonaro (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
  • Flávio Bolsonaro disse que o pai "sempre agiu e agirá dentro da Constituição Federal";

  • Segundo ele, Jair Bolsonaro vai tentar ser a principal voz de oposição ao governo Lula;

  • Declaração do senador foi dada ao jornalista Paulo Cappelli.

O senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro (PL), afirmou que “nunca foi cogitado” um golpe militar no Brasil.

“Nunca houve essa conversa de golpe (militar). Um golpe nunca foi cogitado. Muitos em Brasília estavam tentando se proteger de algo que nunca existiu. Bolsonaro sempre agiu e agirá dentro da Constituição Federal”, disse.

O senador também falou ao jornalista Paulo Cappelli, do portal Metrópoles, que o governo federal não vai criar empecilho para a posse do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Ainda assim, o filho do chefe do Executivo disse que a pauta do voto impresso continuará, sim, a ser pleiteado por deputados e senadores bolsonaristas na próxima legislatura.

Além disso, afirmou que durante o mandato de Lula, Bolsonaro vai buscar ser a principal voz de oposição ao governo petista.

Casa para Bolsonaro

O Partido Liberal (PL) encontrou uma residência em condomínio da capital federal destinada a acomodar o futuro ex-presidente e a família dele.

Segundo informações do site Poder 360, foi buscado um imóvel amplo e confortável, mas que não ostentasse riqueza.

A sigla já havia anunciado que ofereceria casa, cargo e um escritório para Bolsonaro após a derrota dele nas eleições.

A intenção é que ele permaneça em Brasília como “presidente de honra”, e possa liderar a bancada mais ligada ao nome dele que foi eleita para a Câmara.

Presidente abatido

Depois de 30 de outubro, quando Bolsonaro perdeu as eleições para Lula, o mandatário tem se mantido em silêncio, inclusive nas redes sociais, onde reduziu o número de postagens.

Ele participou de cerimônias do Exército, mas não discursou. Na última segunda-feira (5), Bolsonaro chegou a chorar ao participar de um evento das Forças Armadas em Brasília.

Segundo aliados do presidente, ele está abatido após a derrota, o que tem gerado preocupação no entorno dele. Políticos próximos a Bolsonaro falaram ainda que a reclusão ocorre devido a uma erisipela.