Flávio Bolsonaro alega que mansão de R$ 6 milhões é fruto de 'uma simples compra e venda de imóvel', mas não há registros

João de Mari
·4 minuto de leitura
ARCHIVO - Esta fotografía de archivo del 21 de noviembre de 2019 muestra al senador Flavio Bolsonaro, a la izquierda, con su padre, el presidente brasileño Jair Bolsonaro, en el lanzamiento del nuevo partido político de su padre, Alianza por Brasil, en Brasilia, Brasil. Los fiscales del estado de Río de Janeiro acusaron al senador Flávio Bolsonaro de presuntamente comandar una organización criminal y lavar dinero cuando era legislador estatal entre 2007 y 2018, según un comunicado que la fiscalía publicó en su sitio web el miércoles 4 de noviembre de 2020. (AP Foto/Eraldo Peres, Archivo)
De acordo com o UOL, que teve acesso as escrituras, os dois imóveis de Flávio na capital fluminense continuam em seu nome e de sua mulher, a dentista Fernanda Bolsonaro (Foto: AP Foto/Eraldo Peres, Archivo)

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) foi às redes sociais, nesta terça-feira (2), para se explicar após reportagem do Antagonista sobre a compra de uma mansão de R$ 6 milhões em um bairro nobre de Brasília. Em um vídeo, Flávio afirmou que se trata de uma "simples compra e venda de imóvel" e aproveitou para atacar jornalistas dizendo que a "imprensa tenta construir uma narrativa criminosa".

"Mais uma vez a imprensa tenta construir uma narrativa criminosa em cima de uma simples compra e venda de imóvel. Eu já sabia que isso já podia acontecer, mas não vou deixar de fazer nada na minha vida por medo de como a imprensa vai explorar ou distorcer isso", disse.

Leia também

Acontece que não há registros de compra e venda dos imóveis em nome do senador e sua família. Além disso, na eleição de 2018, em que se elegeu senador, Flávio declarou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) patrimônio de R$ 1,74 milhão. O salário bruto de um senador é R$ 33.763.

De acordo com o UOL, que teve acesso as escrituras, os dois imóveis de Flávio na capital fluminense continuam em seu nome e de sua mulher, a dentista Fernanda Bolsonaro.

O principal deles é um apartamento que fica de frente para a praia da Barra da Tijuca, a cerca de 600 metros do condomínio onde o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o irmão do senador, Carlos, têm residência.

Segundo o jornal, o imóvel foi comprado por R$ 2,55 milhões e era onde Flávio e a família moravam antes de se mudarem para Brasília. Para chegar ao resultado, foram analisados documentos atualizados do 9º ofício de registro de imóveis, onde o apartamento está registrado — elesegue no nome de Flávio e Fernanda Bolsonaro.

Além do apartamento na Barra, o senador tem uma sala comercial no Shopping Via Parque, na Zona Oeste. O 9º ofício de registro de imóveis, obtido pelo UOL, também não possui qualquer anotação sobre a venda deste segundo imóvel.

Há pouco tempo também o senador se desfez de sua loja de chocolates no Shopping Via Parque, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Porém, não há registro do imóvel do negócio na Junta Comercial do Rio de Janeiro. A loja também é alvo da investigação da "rachadinha".

'Tudo redondinho'

Durante o vídeo, Flávio garantiu que em breve será de conhecimento público a escritura do imóvel. "Já começam [a imprensa] ir atrás de outra coisa agora, dizer que não estão conseguindo identificar a compra e venda do imóvel. Foi um instrumento particular de compra e venda e daqui a pouco vai ter uma escritura pública".

Por fim, o senador ainda afirmou que acionou o GSI (Gabinete de Segurança Institucional), ministério que cuida da proteção pessoal do presidente e de sua família, pois o endereço da mansão foi revelado.

"Lamento que a imprensa exponha o endereço onde moro, minha família. Já acionei o GSI para que intensifique a segurança no entorno da minha residência. Está tudo redondinho".

Setor mais valorizado da capital

Mais cedo, o filho 01 do presidente já tinha afirmado que vendeu seu imóvel no Rio de Janeiro para arcar com parte dos milhões necessários, mas que mais da metade do valor da operação teria ocorrido por "intermédio de financiamento imobiliário".

"Sendo bastante objetivo, eu vendi um imóvel que eu tinha no Rio, uma franquia que eu possuía também no Rio e dei entrada numa casa em Brasília. A maior parte do valor da casa está sendo financiada no banco, numa taxa que foi aprovada conforme rendimento familiar, como toda pessoa do Brasil pode fazer", explicou.

O comunidado, porém, também não detalhou como foi feito o pagamento da entrada. Reforçou apenas que mais da metade do valor da transação (R$ 3,1 milhões) ocorreu por intermédio de financiamento imobiliário.

Denunciado à Justiça em novembro de 2020 sob a acusação de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa no caso das ‘rachadinhas’, Flávio e a esposa, Fernanda Bolsonaro, compraram a casa em janeiro.

A mansão fica no Setor de Mansões Dom Bosco, um dos mais valorizados da capital. O imóvel tem área total de 2,4 mil metros quadrados.

De acordo com a certidão do imóvel, R$ 3,1 milhões do valor do imóvel foram financiados pelo BRB (Banco de Brasília). A quitação será em 360 parcelas, a uma taxa de juros efetivos de 4,85% ao ano e taxa de juros efetivos reduzida de 3,71% ao ano.

O BRB é controlado pelo governo do Distrito Federal, comandado por Ibaneis Rocha (MDB), aliado do presidente Jair Bolsonaro.