Flávio Dino diz que PF não vai agir contra atos bolsonaristas registrados em SP e BH

Flávio Dino diz que, nesse momento, a investigação dos atos bolsonaristas está na esfera estadual
Flávio Dino diz que, nesse momento, a investigação dos atos bolsonaristas está na esfera estadual

Após o ministro da Defesa, José Múcio Monteiro, entregar ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) um relatório que aponta uma grande desmobilização dos acampamentos bolsonaristas no entorno de quartéis do Exército - de 43 mil para cerca de 5 mil no número de pessoas mobilizadas -, o ministro da Justiça, Flávio Dino, falou que a Polícia Federal não vai agir contra atos políticos que aconteceram ontem em São Paulo e Belo Horizonte.

De acordo com o ministro da Justiça, as investigações neste momento competem a autoridades locais e apenas quando chegar à esfera nacional é que o Ministério irá atuar.

Dino falou ainda que liberdade de expressão não significa 'agressão e golpismo político'. Nesta sexta, em Belo Horizonte, foram registrados casos de violência contra jornalistas que cobriam o desmonte de acampamentos bolsonaristas.

Após a posse de Lula e a ida de Bolsonaro para os EUA, manifestantes começaram a deixar os acampamentos antidemocráticos em frente a quartéis.

Por pressão do presidente Lula, forças de segurança e o exército começaram a desarticular os bolsonaristas mais radicais que insistem em permanecer acampados.

Bolsonaristas fazem manifestação perto do Aeroporto de Congonhas

Na noite desta sexta-feira, militantes bolsonaristas fizeram manifestação na avenida Washington Luís, ao lado do Aeroporto de Congonhas, zona sul de São Paulo, bloqueando parte da via, não reconhecendo o resultado das urnas da eleição que deu a vitória a Lula e dizendo que iriam 'parar os voos' do Aeroporto.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Ontem, também na capital paulista, apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro também realizaram protestos nas regiões das avenidas Paulista e Angélica, na região central.