Flávio Dino é atacado por comentarista de rádio gaúcha: "Comunista obeso"

Ministro se manifestou sobre episódio por meio das redes sociais

Flávio Dino foi atacado por comentarista de rádio gaúcha (Mateus Bonomi/Anadolu Agency via Getty Images)
Flávio Dino foi atacado por comentarista de rádio gaúcha (Mateus Bonomi/Anadolu Agency via Getty Images)

Comentarista da Rádio Guaíba, de Porto Alegre, o advogado Luiz Antônio Beck insultou o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, com comentários gordofóbicos durante participação ao vivo em um programa de rádio na última terça-feira (17).

"O Dino... É uma hipocrisia total. Nada contra os obesos, mas ele é uma pessoa obesa. E um comunista obeso é uma coisa que não dá. Poderiam comer três ou quatro famílias com aquilo que ele come diariamente", declarou.

O ataque foi feito durante o programa "Boa Tarde Brasil", quando os participantes discutiam a nomeação de Nicolau Dino, irmão de Flávio, para comandar a Procuradoria-Geral da União (PGR).

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Em tom jocoso, os outros comentaristas ironizaram a nomeação, chegando a chamar o episódio de "escárnio" e chamando os irmãos de "Família Dinossauro", em referência ao antigo programa de TV.

Ainda em tom de ironia, os participantes culpam Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pelos mais de 30 milhões de brasileiros passando fome, mesmo apenas semanas após sua posse. O apresentador, Júlio Ribeiro, aproveita para emendar: "Esse governo não comprou nenhuma dose de vacina".

Dino se manifesta

Por meio das redes sociais, Flávio Dino se manifestou sobre os ataques sofrido. Sem se aprofundar no episódio, mas também em tom provocativo, pediu retratação dos envolvidos.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

"Soube que em uma rádio do RS se dedicaram a comentários agressivos, preconceituosos e criminosos contra mim. Espero retratação. De todo modo, adianto que não invejo a esqualidez de pessoas que precisam de Código Penal, Código de Ética e um espelho", escreveu.