Flávio e Eduardo Bolsonaro buscam cidadania italiana em embaixada, diz blog

FIlhos de Jair Bolsonaro, Flávio e Eduardo Bolsonaro teriam dado entrada no pedido de obtenção da cidadania italiana junto à embaixada, afirmou colunista. (Foto: Buda Mendes/Getty Images)
FIlhos de Jair Bolsonaro, Flávio e Eduardo Bolsonaro teriam dado entrada no pedido de obtenção da cidadania italiana junto à embaixada, afirmou colunista. (Foto: Buda Mendes/Getty Images)
  • Filhos de Bolsonaro, Flávio e Eduardo estão em busca da cidadania italiana

  • Senador em mandato, Flávio nega que pretende deixar o País

  • Família Bolsonaro descende de italianos

O senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) e o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP) estiveram nesta terça-feira (8) na embaixada da Itália em Brasília para avançar no processo de obtenção de cidadania italiana.

Os filhos 01 e 03 do presidente Jair Bolsonaro (PL), ambos com mandatos parlamentares pela frente, estavam acompanhados de seguranças. Segundo informações do colunista Rodrigo Rangel, do portal Metrópoles, o senador disse estar tratando do processo de cidadania que teria sido iniciado ainda em 2019.

“Minha família tem origem italiana e tenho direito de requerer cidadania italiana, o que começou a ser tratado em setembro de 2019”, declarou Flávio.

Contudo, ele negou que esteja pensando em deixar o País após o pai dele ser derrotado na disputa pela reeleição presidencial.

“Sou senador da República por mais quatro anos, pretendo disputar a reeleição e, antes que comecem a criar teses mirabolantes, sair do país não é uma opção para mim.”

O pedido de cidadania italiana acontece nove dias depois de Jair Bolsonaro perder as eleições.

Origem italiana

Segundo informações do jornal O Globo, Jair Bolsonaro foi o primeiro presidente eleito descendente de imigrantes italianos a chegar ao poder pelo voto no Brasil.

O bisavô do mandatário tem origem no município de Pádua, em Anguillara Vêneta, no país europeu. Em novembro de 2021, o chefe do Executivo visitou a cidade durante sua estadia no País para o encontro do G20.

Segundo informações divulgadas pela Folha de S.Paulo, Bolsonaro comentou com aliados que pode deixar o Brasil para não ter que passar a faixa presidencial para Lula (PT), presidente eleito que assume em 1º de janeiro de 2023. A função ficaria a cargo do vice-presidente General Hamilton Mourão.

O único exemplo recente de presidente que não passou a faixa para o sucessor foi o de João Figueiredo, que foi substituído na Presidência por José Sarney.