Flip 2021 divulga programação com Margaret Atwood, Alice Walker e Conceição Evaristo

·4 min de leitura

A programação da 19ª Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) foi divulgada nesta quinta-feira (18). Entre os autores convidados estão grandes estrelas da literatura, como a canadense Margaret Atwood, autora de "O conto da aia", e Alice Walker, de "A cor púrpura". Também estão confirmados nomes como o botânico italiano Stefano Mancuso, a coreana Han Kang, a turca Elif Shafak e brasileiros como Leonardo Fróes, Ailton Krenak, href="https://oglobo.globo.com/cultura/adriana-calcanhotto-lanca-disco-composto-gravado-produzido-na-quarentena-1-24451183">Adriana Calcanhotto, Conceição Evaristo e Ana Martins Marques.

Este ano, a Flip será realizada virtualmente de 27 de novembro a 5 de dezembro. Além de serem transmitidas pelo canal da festa literária no YouTube, as mesas de abertura e encerramento serão exibidas pelo Canal Arte 1. Tambem haverá salas de exibição em Paraty e em cidades paraenses graças a parcerias com insituições locais. Nas salas de exibição, será mantido o distanciamento social e será obrigatório o uso de máscara. Mauro Munhoz, diretor artístico da Flip, afirmou que o desejo da organização é poder realizar a festa do ano que vem presencialmente.

Pela primeira vez, a Flip tem curadoria coletiva (uma "floresta curatorial", nas palavras da direção), formada pelos antropólogos Hermano Vianna e João Paulo Lima Barreto, pelo escritor Evando Nascimento, pela editora Anna Dantes e pelo crítico literário Pedro Meira Monteiro. Em agosto, foi divulgado o manifesto “Nhe’éry, plantas e literatura”, que explicou a opção da festa por levar o mundo vegetal para o centro do palco. “Nhé’ery” (pronuncia-se “nheeri”) quer dizer “onde as almas se banham” e é como o povo Guarani chama a Mata Atlântica. Conforme divulgado em agosto, >em vez de um único autor homenageado, a festa será dedicada a pensadores indígenas mortos pela Covid-19, como o escritor Higino Tenório, o artista plástico Feliciano Lana, o líder guarani Domingos Venite, e a guardiã das plantas de cura do povo Mura, Maria de Lurdes. Munhoz afirmou que ainda não está decidido se, no ano que vem, a Flip voltará a homenagear autores.

Segundo os curadores, as plantas estão presentes, de um modo ou de outro, nas obras de todos os autores convidados. Na coletiva realizada na manha desta terça, Evando Nascimento lembrou que as plantas sempre estiveram presentes na literatura, embora ignoradas pelos críticos literários

— Toda a fição de Clarice Lispector, por exemplo, é atravessada pela vegetação. Alberto Caeiro, heterônimo de Fernando Pessoa, chamava as plantas de "minhas irmãs". João Cabral de Melo Neto falava dos canaviais; Guimarães Rosa, dos buritis; Manuel Bandeira, dos cactos — afirmou.

Pedro Meira Monteiro definiu a chamada "virada vegetal", inspiração da Flip deste ano, como uma "tentativa de ir contra a ideia arrogante de centralidade do humano, de um mundo que so faz sentido a partir de uma mente cartesiana".

— As plantas estão aí dando seu recado, que é coletivo, interdependente e interespecifico — disse.

Promovida pela Associação Casa Azul e apoiada pelo Ministério do Turismo, a Flip conta com recursos captados via Lei Federal de Incentivo à Cultura e patrocínio oficial do Itaú e do Instituto Cultural Vale. Este ano, direção da festa literária “estima uma queda significativa de receita” e afirma ainda estar em busca de “apoios e interlocuções com a comunidade local”.

Confira a programação da 19ª Flip

Sábado, 27/11

16h

MESA 1: Nhe'éry Jerá (Abertura)

Com Carlos Papá e Cristine Takuá

18h

MESA 2: Literatura e plantas

Com Stefano Mancuso e Evando Nascimento

Mediação: Prisca Agustoni

Domingo, 28/11

16h

MESA 3: Naturalismo e violência

Com Micheliny Verunschk e David Diop

Mediação: Milena Britto

18h

MESA 4: Folhas e verbos

Com Véronique Tadjo e Edimilson Pereira de Almeida

Mediação: Joselia Aguiar

Segunda, 29/11

18h

MESA 5: Plantas e cura

Com João Paulo Lima Barreto e Monica Gagliano

Mediação: Mônica Nogueira

20h

MESA 6:

Em definição

Terça, 30/11

18h

MESA 7: Zé Kleber: Micélios

Com Jorge Ferreira e Merlin Sheldrake

Mediação: Alice Worcman

Terça, 30/11

20h

MESA 8: Tecnobotânicas

Com K Allado-McDowell e Giselle Beiguelman

Quarta, 1/12

18h

MESA 9: Fios de palavras

Com Leonardo Froés, Júlia de Carvalho Hansen e Cecilia Vicuña

Mediação: Ludmila Lis

20h

MESA 10: Utopia e distopia

Com Margaret Atwood e Antonio Nobre

Mediação: Renata Tupinambá

Quinta, 2/12

18h

MESA 11: Botânicas migrantes

Com Djaimilia Pereira de Almeida e Elif Shafak

20h

MESA 12: Políticas vegetais

Com Kim Stanley Robinson e Eliane Brum

Mediação: Lucia Sá

Sexta, 3/12

18h

MESA 13: Em definição

ref="https://oglobo.globo.com/economia/portugal-atrai-imigrantes-para-fixarem-domicilio-fiscal-no-pais-com-aliquotas-vantajosas-25277239">20h

MESA 14: Vegetalize

Com Adriana Lisboa e Han Kang

Mediação: Guilherme Henrique

Sábado, 4/12

16h

18h

MESA 16: Em busca do jardim

Com Alice Walker e Conceição Evaristo

Mediação: Djamila Ribeiro20h

MESA 17: Ouvir o verde

Com Alejandro Zambra e Ana Martins Marques

Mediação: Rita Palmeira

Domingo, 5/12

16h

MESA 18: Metamorfoses

Com Emanuele Coccia e Adriana Calcanhotto

Mediação: Cecilia Cavalieri

18h

MESA 19: Cartografias para adiar o fim do mundo

Com Ailton Krenak e Muniz Sodré

Mediação: Vagner Amaro

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos