Flordelis é atendida às pressas na emergência da UPA de Bangu

A ex-deputada Flordelis dos Santos foi levada às pressas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Hamilton Agostinho, no Complexo de Gericinó, em Bangu, Zona Oeste do Rio. A pastora queixou-se de fortes dores nas costelas, por volta das 12h desta segunda-feira. No domingo, Flordelis foi condenada a uma pena de 50 anos e 28 dias de prisão por ser mandante do assassinato do marido, pastor Anderson do Carmo, em 2019, e outros crimes.

Três anos depois: irmã do pastor Anderson do Carmo, que perdeu os pais antes do julgamento, considera que Justiça foi feita

Após receber a visita de uma de suas advogadas de defesa, a ex-deputada pediu às policiais penais da Penitenciária Talavera Bruce, em Bangu, para que a levassem na emergência, pois estava passando mal. Flordelis continua na UPA fazendo exames e sendo medicada.

Não é a primeira vez que a pastora passa mal na prisão com o mesmo problema. No dia 17 de outubro, ela também recebeu atendimento de emergência com os mesmos sintomas. Ela relatou aos médicos que estava com trauma na costela direita e que não conseguia respirar há sete dias. Ao ser examinada pela equipe médica, foi constatado que o ritmo cardiopulmonar da paciente estava “regular em dois tempos sem ruídos”.

Condenação: 'Não vou desistir de você', publica namorado de ex-deputada após chorar em tribunal

Com a condenação de mais 50 anos, ela passa a conviver com outras presas já sentenciadas pela Justiça. Antes, por ser interna provisória, aguardando o julgamento, ela ficava na cela com mulheres grávidas que aguardavam o momento de ter seus bebês, uma ala mais tranquila.

Caso Flordelis: veja perguntas e respostas em interrogatório de pastora em sexto dia de julgamento

Mãe e filha no mesmo presídio feminino

A ex-deputada e Simone dos Santos Rodrigues, sua filha biológica, vão cumprir pena no mesmo presídio feminino, a Penitenciária Talavera Bruce. Atualmente, Flordelis divide a carceragem com as presas grávidas. Como foi condenada a mais 50 anos, a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) tem como regra colocar os presos condenados junto com outros na mesma situação nessa unidade prisional.

A filha biológica, no entanto, ainda se encontra no Presídio Oscar Stevenson, em Benfica, porque a sentença do júri lavrada neste domingo ainda não chegou à administração da Seap. Simone ficará numa cela de internas com comorbidade porque ela ainda está em tratamento de um melanoma. Apesar de ter curso superior, ela não ficará em cela especial, porque, segundo a secretaria, ela perdeu tal privilégio por ter sido condenada há mais de oito anos em regime fechado.

Testemunha de defesa: Perito de defesa que atuou em julgamento de Jairinho e Matsunaga aponta supostos erros em laudos da morte de pastor

Dois dos três réus que foram absolvidos aguardam a liberdade. Rayane dos Santos Oliveira, neta de Flordelis e filha adotiva de Simone, e Marzy Teixeira, filha afetiva da pastora, ainda esperam o cumprimento da soltura. Elas estão no Instituto Penal Santo Expedito, em Bangu. André Luiz Oliveira — filho afetivo da ex-deputada, marido de Simone e pai de Rayane — é o único já em liberdade, tendo sido solto neste domingo. Ele estava detido na Cadeia Pública Patrícia Acioli, em São Gonçalo.

No último dia do julgamento, que começou na manhã de sábado e terminou apenas na manhã do dia seguinte, e se tornou o mais longo da história, Flordelis recebeu pena de 50 anos e 28 dias de prisão pelos crimes de homicídio, tentativa de homicídio (por tentativas de envenenar a vítima), uso de documento falso (pelo plano de uma carta fraudada) e associação criminosa armada.

Relembre: ‘Me perdoa, sou inocente. Estou muito envergonhada’, Flordelis chora e deixa julgamento durante depoimento de Siro Darlan

Já Simone recebeu pena de 31 anos e 4 meses de prisão pelos crimes de homicídio, tentativa de homicídio e associação criminosa armada.

Absolvidos, Marzy e André respondiam por homicídio, tentativas de homicídio e associação criminosa armada. Já Rayane era acusada de homicídio e associação criminosa armada.

O pastor Anderson do Carmo foi morto a tiros em 16 de junho de 2019, na garagem da casa da família em Pendotiba, Niterói, Região Metropolitana do Rio.

Em julgamento: 'Só aconteceu porque ela permitiu que acontecesse', diz filha adotiva da pastora sobre morte