‘Flordelis falava que meu sonho era ser traficante, mas nunca fui envolvido’, diz filho afetivo da ex-deputada

Wagner Andrade Pimenta, o Misael, filho afetivo de Flordelis dos Santos de Souza, contou no tribunal do júri, durante o julgamento da ex-deputada pela morte do pastor Anderson do Carmo, que ela mentia a fiéis sobre tê-lo resgatado do tráfico de drogas. Misael começou a frequentar a casa da pastora aos 12 anos, quando ela mudou seu nome por motivos espirituais.

Acusado de estupro: Justiça mantém prisão de Gabriel Monteiro em audiência de custódia

Centro do Rio: Criminosos usam caminhão para roubar terreno da Polícia Civil

— A Flordelis falava que meu sonho era ser traficante e entrar na vida do crime, e começou essa história na minha vida. Eu ficava com vergonha, não gostava, mas acabei aceitando. Mas nunca fui envolvido — diz Misael.

Em seu depoimento, Misael revelou ainda que o relacionamento de Flordelis com o pastor Anderson do Carmo começou quando ele ainda era adolescente com 16 ou 17 anos. Ele também era um filho afetivo da pastora e antes do casamento chegou a namorar Simone, filha do primeiro casamento da ex-deputada. Misael ainda relata que sofreu uma “lavagem cerebral” na casa:

— O Anderson, meu pai, já tinha uma autoridade e liderança atual. Ele chegou como filho da Flordelis e era visto como responsável. Eu tinha apenas 12 anos quando cheguei achando que seria uma família, uma extensão da igreja. Mas acabei, com 12 anos, cuidando de 13 bebês.

Nada de suco ou comida

Misael contou ainda que um outro filho alertou para que quando ele tivesse em casa não deveria tomar sucos ou comer a comida de Anderson pois a “mãe” estava tentando matar o “Niel”, apelido carinhoso que o pastor tinha. Ele ainda narrou que Anderson recebeu uma ameça de morte em seu computador no gabinete da Câmara de Deputados, em Brasília.

Além da acusação de ser mandante da morte de Anderson do Carmo, Flordelis responde pela tentativa de homicídio do pastor pelo suposto envenenamento dele em casa. Em um dos episódios apontados pela acusação, o pastor ficou internado e perdeu 20kg em semanas.

— Uma das filhas tomou um suco que estava reservado para o Anderson e passou mal três dias seguidos. No dia da eleição em 2018, outro filho também passou mal, tendo muitos vômitos. Minha mãe (Flordelis) falava que ele (Anderson) não gosta de tomar remédio e tinha que dissolver no suco dele. Mas até então, para mim, ela passava ser medicamento de ansiedade. Quando ela não fazia, pedia a Nelinha (cozinheira da casa) e a Marzzy — revelou Misael.

'Choro forçado'

Misael ainda relata que na noite do pastor Anderson do Carmo, Flordelis chegou ao hospital em que ele foi socorrido com um “choro forçado”. Este é o segundo filho afetivo da ex-deputada que relata uma emoção falsa de Flordelis. Mais cedo, Alexsander Felipe Matos Mendes narrou que durante o velório que o choro da ex-deputada “não era verdadeiro” e disse ter tomado conhecimento de que a mãe tinha trocado de roupa três vezes durante o velório do pastor.

— Quando eu cheguei no hospital, encontrei Daniel e o encontrei desesperado no meio da rua sem camisa. Dentro encontrei o Flávio e cheguei na recepção. Passou cerca de 40 minutos e quem chega é minha mãe. Quando ela sai do carro, já vem chorando, de terninho. Como moramos juntos, a gente sabia se era verdadeiro ou não e não era verdadeiro. Era um choro forçado. Eu conheço ela — relatou aos jurados.

'Deus iria levar ele'

Questionado pelo Ministério Público se Flordelis “profetizou” a morte do pastor Anderson do Carmo, Misael contou que certa vez ela disse que “Deus iria levar ele” por que estava atrapalhando a “obra de Deus”. Ele narrou também que haviam desavenças financeiras entre o casal e que a ex-deputada estava descontente do valor repassado a ela. Segundo o filho afetivo do casal, Anderson ficava com 60% do lucro da venda de CDs, DVDs e do cachê para pagar as contas da casa. O restante ficava com Flordelis.

Misael narrou também que, após a morte de Anderson, a ex-deputada escreveu em um caderno “ainda bem que quebramos o celular do Niel e jogamos na Ponte-Rio Niterói”.

Durante o depoimento, Misael também disse que Flordelis relatou ter sofrido abusos por Anderson do Carmo. Ao ouvir os relatos, ele conta que sugeriu para a mãe se separar e denunciar, mas a ex-deputada teria dito não poder para não “escandalizar”. No domingo, O GLOBO revelou um vídeo da pastora gravado dentro do presídio em que ela narra episódios de violência sexual. O advogado da família do pastor Anderson nega que os abusos tenham ocorrido.

— A minha mãe falava essa questão de abuso. Se for verdade, a senhora teria que se separar. Ela se demonstrava insatisfeita com meu pai. Não sei quando nasceu essa insatisfação, mas ela vinha falando comigo. Falou da parte financeira que não concordava — relatou o filho afetivo.

Flordelis blindava mães biológicas de encontrarem seus filhos, diz Misael

Perguntado pela defesa da ex-deputada, Misael narrou que, por volta dos 20 anos de idade, viu duas mães de filhas afetivas de Flordelis irem à casa da pastora procurar por suas filhas biológicas. Ele afirmou que as crianças eram “blindadas”:

— Quando fui para lá, tinha apenas 12 anos e não tinha essa percepção de como essas crianças chegavam lá. Flordelis passava que as mães deixavam (a ida das crianças para a casa). As mães eram muito vulneráveis e noa tinham meios de correr atrás dos direitos. Ali nos meus 20, 21 anos, via a mãe biológica procurando e a Flor blindando para elas não chegarem perto.