Flordelis mantém contato com investigada e descumpre decisão judicial, revela neta em depoimento

Carolina Heringer
·2 minuto de leitura
Reprodução
Reprodução

RIO — Uma das netas da deputada federal Flordelis dos Santos denunciou à Polícia Civil que a avó está descumprindo uma decisão judicial que a proíbe de ter contato com investigados por suspeitas de envolvimento na morte do marido, o pastor Anderson do Carmo. O GLOBO teve acesso ao depoimento que Raquel dos Passos Silva, de 21 anos, prestou na Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo no último dia 22. Raquel contou aos policiais que Lorrane Oliveira, que também é neta de Flordelis e está entre os investigados no terceiro inquérito sobre o caso, continua morando na casa da deputada.

A juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói, determinou como medida cautelar em agosto deste ano que Flordelis não pode ter contato com outros réus pelo assassinato de Anderson e nem de pessoas que ainda são investigadas. Além de Lorrrane, outras três pessoas são alvo do terceiro inquérito aberto pela DH.

De acordo com o Código de Processo Penal, o descumprimento de medidas cautelares pode fazer com que o juiz decrete a prisão preventiva do acusado. No entanto, Flordelis não pode ser presa em razão de sua imunidade parlamentar, salvo em flagrante e por crime inafiançável.

Raquel resolveu prestar depoimento após ter sido expulsa pela avó da casa da família em Pendotiba, Niterói. A jovem relatou que a expulsão ocorreu após uma discussão com Lorrane “que terminou em vias de fato”. A briga ocorreu cerca de dez dias antes do depoimento.

A jovem relatou que o desentendimento ocorreu porque Lorrane estava incentivando Flordelis a obrigá-la a fazer comida para os moradores da casa. Raquel afirma que se recusou porque trabalha fora, exercendo a função de auxiliar de veterinária, enquanto existem outros moradores da casa que nada fazem o dia todo.

Raquel afirmou ainda que Flordelis tomou conhecimento da briga e disse que ela teria que fazer comida para os outros moradores. Caso contrário, teria que sair da casa e arrumar outro lugar para morar.

Raquel é filha biológica de Cristiana Rangel e Carlos Ubiraci, ambos filhos afetivos de Flordelis. Carlos está preso, acusado de envolvimento na morte de Anderson. Carlos, Cristiana e seus filhos moravam no terreno da casa de Flordelis, em uma construção independente. Após a saída de Raquel, Cristiana também deixou a casa.

Raquel relatou ainda que, enquanto estava na delegacia, recebeu um áudio de Flordelis pedindo que ela não fosse à polícia.

Procurada, a defesa de Flordelis ainda ão se manifestou.

Audiência nesta sexta

A primeira audiência do processo respondido por Flordelis, sete filhos e uma neta acontecem nesta sexta-feira no fórum de Niterói. Serão ouvidas todas as testemunhas de acusação do caso. A sessão, que será presidida pela juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, está marcada para começar às 13h e não tem previsão de término.

Há pouco mais de um mês, Flordelis é monitorada por tornozeleira eletrônica, por determinação de Nearis.