Flordelis se diverte em vídeo de influenciador e pede orações

·2 minuto de leitura
Flordelis apareceu nas redes sociais de Thomas Santana - Foto: Reprodução/Redes Sociais
Flordelis apareceu nas redes sociais de Thomas Santana - Foto: Reprodução/Redes Sociais
  • Flordelis apareceu nas redes sociais em vídeo ao lado do influenciados Thomas Santana

  • A mulher cantou uma de suas músicas e pediu oração dos seguidores do rapaz

  • Ela é acusada de ser a mandante do assassinato de seu marido, Anderson do Carmo

Acusada de ser mandante do assassinato do próprio marido, a pastora Flordelis veio a público nesta terça-feira em vídeo publicado pelo influenciador Thomas Santana. Na filmagem, os dois cantam juntos e ela chega a pedir orações aos seguidores do rapaz.

"Deus abençoe vocês. O que Thomas faz é brincar, ainda que seja com a tristeza dos outros, é para fazer o povo rir. Que deus abençoe a vida dele, continuem orando por ele e orando por mim. Maior é o que está conosco", diz.

Leia também

Flordelis e Thomas posaram para uma foto fazendo “coração” com as mãos e, juntos, cantaram a música “Quem sou eu”, da pastora. O vídeo causou revolta nas redes sociais, o que fez com que o influenciador desabafasse.

“Estão querendo me cancelar? O que já é cancelado? É um povo que fica atrás da tela do celular”, declarou. “Pode falar, fala mais”, completou, em meio a outras provocações.

Pastora foi afastada da Câmara dos Deputados (Foto: Claudio Andrade/ Câmara dos Deputados)
Pastora foi afastada da Câmara dos Deputados (Foto: Claudio Andrade/ Câmara dos Deputados)

O próprio Thomas, porém, apagou a postagem no Twitter em que aparecia ao lado da pastora. Por conta da repercussão negativa do vídeo, o termo “assassina” era um dos mais comentados da rede social no início da tarde desta terça-feira.

O "caso Flordelis"

Flordelis é acusada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) de ser a mandante do assassinato de seu marido, Anderson do Carmo, em 2019. Ela responde por homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, uso de documento falso e associação criminosa armada.

Por ter imunidade parlamentar, porém, a mulher segue em liberdade, mas, desde setembro, tem sido monitorada por tornozeleira eletrônica. Ela foi afastada do cargo de deputada federal pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) em fevereiro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos