Fluminense blinda Lara Dantas após ataques nas redes e quer evitar novo 'caso Praxedes'

Marcello Neves
·2 minuto de leitura

Lara Dantas é uma das joias do futebol feminino do Fluminense. Campeã brasileira sub-18 com o tricolor, convocada para a seleção brasileira... tudo para estar em paz. Mas não é bem assim. Uma publicação mal interpretada nas redes sociais a tornou um alvo de ataques de torcedores e obrigou o clube a blindá-la. A ideia é evitar que as críticas passem do tom e não gere um novo "caso Praxedes".

Bruno Praxedes, hoje atleta do Internacional, estava na base do Fluminense em 2018 quando escreveu "segue o líder", indicando que era torcedor do Flamengo — o rubro-negro era líder do Brasileiro naquele momento. O empresário do atleta garante que sua saída em 2019 não teve a ver com o episódio, mas o clima com os torcedores ficou insustentável.

O Fluminense quer evitar que a situação com Lara chegue neste nível. A diferença é que a meia-atacante tem apenas 15 anos e está sendo preservada. Um emoji publicado no dia em que o Flamengo conquistou o Campeonato Brasileiro de 2020 iniciou série de ataques. Nesta terça-feira, novamente foi alvo de comentários maldosos. Procurado, o Fluminense não irá se pronunciar.

A blindagem se dá porque Lara Dantas é considerada uma das atletas mais promissoras de sua geração e constantemente convocada para a seleções brasileira de base. Internamente, a atleta é bem avaliada, não tendo casos de indisciplina ou desrespeito ao clube. Ou seja, tem potencial para dar lucro esportivo e financeiro ao Fluminense.

Internamente, o Fluminense a orientou a tomar cuidado com as redes sociais. Ela estava inicialmente escalada para fazer a fotografia da nova linha de uniformes da Umbro, mas Tarciane e Luiza Travassos serão as modelos. Ela também ficou afastada por cerca de dez dias dos treinamentos, mas foi reintegrada.

Não existe também interesse em negociá-la, como aconteceu com Praxedes, por isso a busca por uma melhor solução.