Fluminense corre risco de perder Fred no Brasileiro, mas já não sofre da dependência da primeira passagem

Extra
·1 minuto de leitura

A três jogos do fim do Brasileiro e na luta por uma vaga na fase de grupos da Libertadores, o Fluminense corre o risco de não poder contar com Fred pelo restante da disputa. O atacante, que deixou o jogo contra o Atlético-MG com dor na coxa direita, aguarda o resultado do exame que dirá a gravidade da lesão. Apesar do imprevisto, contudo, a perda não deixa os tricolores desesperados como em outros tempos. Na segunda passagem do centroavante pelas Laranjeiras, dependência é uma palavra que já não define mais esta relação.

Desde que reestreou pelo Fluminense, Fred já participou de 26 jogos. O time venceu 10, empatou nove e perdeu outros sete. O aproveitamento de 50% dos pontos é exatamente igual ao das partidas neste período sem o camisa 9. Em 18 confrontos, os tricolores somaram oito vitórias, três empates e sete derrotas.

Num recorte mais curto, com os últimos 11 compromissos sem o atacante, o desempenho é ainda melhor: 60,6% de aproveitamento. Foram seis triunfos, dois empates e três derrotas.

Não que Fred atrapalhe o Fluminense. Pelo contrário. Consciente das limitações que a idade impõe, busca readaptar seu jogo usando a experiência a favor. Ao invés das arrancadas do passado, explora sua leitura de jogo para atrair os marcadores e dar bons passes para os companheiros. No Brasileiro, já deu 15 assistências para finalização e duas para gol.

Independentemente do resultado do exame, Fred não enfrentará o Ceará, nesta segunda, em Fortaleza. A tendência é que John Kennedy seja seu substituto.