Fluminense recebe o Santos e tenta seguir no caminho certo do Brasileiro

Rafael Oliveira
·2 minuto de leitura
Foto: Lucas Merçon/Fluminense/Divulgação/21.10.2020
Foto: Lucas Merçon/Fluminense/Divulgação/21.10.2020

O Fluminense iniciou o Brasileiro com uma meta bem definida: voltar à Libertadores. Para isso, precisa terminar ao menos entre os seis primeiros. Trata-se de um feito que não ocorre há seis anos. Mas a metade da missão já está quase concluída. A dois jogos do fim da primeira parte do campeonato, o Tricolor pode superar o turno de 2014 — justamente a última vez em que atingiu o G-6. Para isso, precisa vencer os próximos dois compromissos. A começar pelo Santos, neste domingo, às 16h, no Maracanã.

Com 26 pontos, o Fluminense chegará aos 32 se derrotar Santos e Fortaleza. Assim, superaria os 31 de 2014. Não seria, contudo, a melhor pontuação desde então. Em 2015, o Tricolor somou 33 nas primeiras 19 rodadas. Era o quarto colocado. Mas despencou de rendimento no returno e terminou em 13º, com 47. Uma mostra clara de que uma boa campanha no turno não é suficiente. É preciso manter o rendimento.

Vencer o Santos pode representar ainda a derrubada de uma escrita. O Fluminense não supera a equipe da Vila Belmiro desde 2017. São três derrotas e dois empates.

— Infelizmente nos últimos anos a gente veio brigando lá embaixo. Mas passou. Estamos em outro momento. É um dos jogos mais importantes do ano. Cada jogo é uma final. Vamos brigar pela Libertadores e, quem sabe, pelo título — projeta o volante André, que sonha com nova chance no meio-campo, já que Yago Felipe se recupera de lesão na coxa esquerda e não será relacionado.

— Eu sempre joguei de primeiro volante. Mas onde o Odair Hellmann me colocar estarei pronto — completou.

Outras novidades são esperadas. Uma delas é a volta de Luccas Claro no lugar do suspenso Digão. À disposição de Odair Hellmann, o uruguaio Michel Araújo também pode retornar. Com Luiz Henrique na seleção brasileira sub-20, há uma vaga em aberto no ataque.