Fluminense vence o Ceará com gol do recordista Cano e se garante na Libertadores de 2023

O Fluminense está na Libertadores de 2023. A vitória sobre o Ceará trouxe a pontuação necessária para o tricolor ir ao menos para a fase preliminar da competição sul-americana. Faltam três pontos de nove em disputa para o time das Laranjeiras confirmar um lugar na fase de grupos. É posição mais condizente com o futebol do time desde a chegada de Fernando Diniz. Deve acontecer, mais cedo ou mais tarde.

No Castelão vazio — o estádio teve os portões fechados como punição ao Ceará —, a partida refletiu bem a diferença de nível entre as equipes. Os mandantes, errantes demais, brigam para permanecer na primeira divisão. O Fluminense com a costumeira qualidade, ainda que inquestionavelmente menos inspirado do que já foi em 2022.

Isso foi suficiente para garantir os três pontos. A equipe criou mais do que o adversário e contou com oportunismo excepcional de Germán Cano. Foi dele o gol da vitória, para variar. Comemorou com o “L” do Lorenzo, mas que poderia muito bem significar outra. “L” de Libertadores.

Recordes de Cano

O argentino merece um capítulo à parte: Cano se tornou o maior artilheiro do Fluminense em uma única temporada no século ao igualar Magno Alves, que marcou 39 em 2002.

Além disso, virou o maior artilheiro estrangeiro do Fluminense em uma única temporada: ele alcançou a marca do compatriota Doval, em 1976.

Para completar, também se transformou no maior artilheiro estrangeiro em única edição de Brasileiro, contando todas as edições. Até então, o colombiano Aristzábal havia sido o único atacante nascido fora do Brasil a marcar 21 gols na competição, com a camisa do Cruzeiro, em 2003.

Os números impressionam porque se trata do casamento perfeito entre as virtudes individuais do jogador e o estilo de jogo proposto por Fernando Diniz. Trata-se de um jogo de controle de bola, volúpia no ataque. O tricolor cria chances em abundância, permitindo que Cano coloque em prática suas maiores virtudes: posicionamento na área e qualidade na finalização.

No primeiro tempo, o camisa 14 teve três finalizações mais perigosas. A primeira, de fora da área, levou perigo. A segunda, depois de receber bom passe dentro da área, subiu demais. A terceira, o argentino encontrou espaço e soltou uma bomba na trave.

Talvez Cano não estivesse com a melhor pontaria no Castelão. Mas como ele também é muito em se posicionar dentro da área, ele encontrou a oportunidade no segundo tempo de desviar a finalização de Arias e garantir o gol da vitória.