Fluminense vence o Sport com gol nos acréscimos e abafa vaias

·3 min de leitura

Marcão já gozou de mais prestígio com a torcida do Fluminense. Ao menos ele conta com um para raio da envergadura de Fred para protegê-lo. Neste sábado, na vitória por 1 a 0 com o Sport, a vaia veio forte para cima do treinador, depois que ele tirou o camisa 9 para colocar Caio Paulista. Fred reagiu: bateu no peito e pediu para que os tricolores no Maracanã segurassem a onda. Para completar, fez questão de cumprimentar o técnico, na saída de campo.

Outras substituições foram feitas, mas não existe ninguém no elenco do Fluminense com os ombros tão largos quanto os do capitão. E aí as vaias sobre Marcão viram com força de novo no Maracanã. É a maneira que o torcedor encontra para manifestar seu descontentamento.

Nos acréscimos da partida, a paciência já havia acabado. Os gritos de “time sem vergonha” ecoavam no estádio quando Marlon conseguiu o cruzamento na direção da área. O zagueiro David Braz estava lá para colocar a bola para dentro e transformar o ambiente da água para o vinho. O time sem vergonha voltou a ser de guerreiros como num passe de mágica. É assim mesmo.

Empatar com os pernambucanos, na zona de rebaixamento, seria um péssimo resultado para quem mira uma vaga direta na Libertadores do ano que vem.

Já a vitória mantém o tricolor bem a briga pelo grande objetivo que resta na temporada. Se for levada em consideração a provável transformação do G4 em G6, o time das Laranjeiras, em oitavo, precisa tirar uma desvantagem de cinco pontos para o Corinthians, sexto. A sequência não era boa, com duas derrotas seguidas e sem marcar um gol sequer. Isso tudo ajuda a entender o peso que a vitória sobre o Sport teve para o tricolor.

— Trabalhei muito, todo mundo sabe das minhas características — afirmou Cazares, que entrou no segundo tempo e deixou o time mais criativo. — Conseguimos a vitória e isso é o mais importante. Agora é seguir em frente porque na terça-feira tem mais.

O jogo em questão será contra o Grêmio, outra equipe que figura entre os quatro últimos, em Porto Alegre. Uma boa oportunidade para o Fluminense tentar duas vitórias seguidas no Brasileiro.

Para isso, porém, será preciso que melhore ofensivamente. Não tanto no volume de jogo, ou na criação das jogadas. O estilo de jogo objetivo de Marcão tem méritos, aproveita bem a juventude dos atacantes formados em Xerém, orientados pela experiência de Fred. O problema é que a qualidade nas finalizações tem deixado a desejar. E neste sentido nem mesmo o camisa 9, segundo maior artilheiro da história do clube, está livre das críticas.

Neste sábado, contra o Sport, a melhor chance que ele teve foi um gol anulado corretamente, depois que Samuel Xavier, responsável pela assistência, teve a posição de impedimento identificada pela cabine do VAR.

Quando nem mesmo Fred está inspirado no último toque, fica na conta dos meninos os gols que o Fluminense precisa. E eles não tiveram felicidade nas finalizações. O Sport conseguiu levar algum perigo, especialmente no segundo tempo, mas nada que colocasse a defesa do Fluminense realmente em apuros. Marcos Felipe oscilou em alguns lances, mas Nino compensou com muita categoria.

Faltava o gol. Ironicamente, coube a David Braz, zagueiro, realizar a tarefa que os homens de frente não deram conta no Maracanã.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos