FMI ampliará sua vigilância econômica para desigualdades sociais

A diretora-gerente do FMI, Christine Lagarde, em Lima, no dia 9 de outubro de 2015

O Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou nesta quinta-feira que seu trabalho de vigilância não se limitará mais aos indicadores de estabilidade macroeconômica, e que poderá ser ampliado, em alguns países, a temas relacionados com as desigualdades sociais.

"A próxima etapa de nosso trabalho operacional (...) é incluir, caso a caso, de acordo com o país, o tema das desigualdades em nosso trabalho de vigilância e nas avaliações anuais dos Estados-membros", disse o porta-voz da instituição, Gerry Rice, em coletiva de imprensa.

Há dois anos, o FMI publicou vários relatórios sobre o alto nível de desigualdades sociais, consideradas nefastas para a economia, descolando-se de seu tradicional papel de supervisor orçamentário.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos