FMI trabalha 'duramente' com Argentina para fechar acordo em maio, diz porta-voz

·1 minuto de leitura
Julie Kozack (D), subdiretora do Departamento das Américas do FMI, e Luis Cubeddu (E), chefe da Missão para a Argentina, conversam com o ministro argentino da Economia, Martín Guzmán (C), em 14 de fevereiro de 2020, em Buenos Aires

O Fundo Monetário Internacional (FMI) disse nesta quinta-feira (4) que trabalha "duramente" com a Argentina para alcançar um acordo em maio para reestruturar 44 bilhões de dólares em créditos, e prevê uma missão virtual com o país "nas próximas semanas".

O porta-voz do FMI, Gerry Rice, afirmou que a equipe técnica do FMI avança nas negociações com o governo de Alberto Fernández para tentar completar as negociações nesses três meses, como pretende o ministro da Economia argentino, Martín Guzmán.

"Estamos trabalhando duramente com as autoridades para chegar a um acordo sobre um programa", disse em coletiva de imprensa. "Seguiremos fazendo todo o possível para cumprir com o cronograma do ministro", apontou.

Guzmán disse na semana passada que deseja alcançar um acordo com o FMI para maio, quando vence uma dívida da Argentina com o Clube de Paris de 2,4 bilhões de dólares.

"As discussões continuam. Esperamos uma missão formal da equipe nas próximas semanas", disse Rice, destacando que a visita será virtual devido ao cumprimento dos protocolos de segurança pela pandemia de covid-19.

Rice afirmou que o novo programa com a Argentina poderia ser uma Facilidade de Fundo Estendida (EFF em inglês), ao contrário do Acordo Stand-By de 36 meses negociado em 2018 com o governo de Mauricio Macri por 57 bilhões de dólares, um valor recorde para o FMI.

Consultado sobre uma eventual visita das autoridades argentinas a Washington, Rice disse estar ciente de que isso poda ocorrer "nas próximas semanas".

"Não quero especular sobre nenhuma data, mas claro que entendemos que essa é a intenção", contestou.

ad/mls/aa