Foguetes atingem base aérea iraquiana após confrontos com EI

·1 minuto de leitura
Membros das forças de segurança iraquianas patrulham Tarmiyah, 35 km ao norte de Bagdá, após confrontos com jihadistas, em 20 de fevereiro de 2021

A base aérea de Al Balad, ao norte da capital do Iraque, foi atingida neste sábado (20) por quatro foguetes, que deixaram um ferido, informaram fontes de segurança à AFP.

O ataque aconteceu horas depois que uma força conjunta do exército e combatentes tribais aliados atacaram um esconderijo do Estado Islâmico (EI) nas planícies de Tarmiyah. Sete pessoas morreram nesse confronto, cinco jihadistas e dois combatentes do governo, segundo o exército iraquiano.

Os aviões F-16 da base atacada, Al Balad, estavam apoiando a operação contra as células adormecidas do grupo EI em Tarmiyah quando o ataque ocorreu, explicaram duas fontes de segurança à AFP.

Ao todo, quatro foguetes atingiram a base, cerca de 60 km ao norte de Tarmiyah.

Um deles atingiu a área ocupada por funcionários da Sallyport, empresa americana que faz a manutenção dos F-16, e feriu "um empreiteiro iraquiano", que ficou com "ferimentos leves", de acordo com uma fonte de segurança.

Até o momento, o ataque não foi reivindicado e não está claro se ele está relacionado às operações antijihadistas.

Por sua vez, o exército iraquiano respondeu com fogo de artilharia na direção da área de onde saíram os foguetes, 12 km a leste da base, indicaram as mesmas fontes.

Os disparos de foguetes contra instalações militares e diplomáticas ocidentais no Iraque são frequentes, e tanto os americanos quanto as autoridades iraquianas frequentemente culpam facções armadas próximas ao Irã.

Essa situação levou as forças de segurança a redobrarem seus esforços contra os jihadistas. No final de janeiro, o primeiro-ministro iraquiano Mustafa al Kazimi anunciou a morte de Abu Yaser al Isaui, apresentado como chefe do EI no Iraque.

bur/mjg/lg/me-jvb/jz/ic