Foguetes ucranianos atingem área controlada pela Rússia; Kiev se prepara para contra-ataque no sul

Local de ataque com artilharia russa em Kharkiv, na Ucrânia

Por Tom Balmforth

KIEV (Reuters) - A Ucrânia disse nesta terça-feira que realizou um ataque bem-sucedido com foguetes de longo alcance contra forças russas no sul da Ucrânia, território que planeja retomar em uma contraofensiva usando centenas de milhares de soldados.

Segundo a Ucrânia, o ataque atingiu um depósito de munição na cidade de Nova Kakhovka, na região de Kherson, e matou 52 russos. Isso ocorreu depois que Washington forneceu à Ucrânia sistema de artilharia móvel Himars, o qual Kiev diz que suas forças estão começando a usar com eficácia cada vez maior.

Uma autoridade russa instalada em Kherson deu uma versão diferente. Ele disse que pelo menos sete pessoas foram mortas no ataque ucraniano e que civis e infraestrutura civil foram atingidos.

A Reuters não pôde verificar independentemente os relatos do campo de batalha.

A área atingida pela Ucrânia é aquela que as forças russas apreenderam após o lançamento em 24 de fevereiro do que Moscou chamou de "uma operação militar especial" e é de importância estratégica: com acesso ao Mar Negro, onde antes funcionava um próspero setor agrícola e um local ao norte da Crimeia, anexada pela Rússia.

Autoridades do governo ucraniano falaram dos esforços para reunir até 1 milhão de soldados e de seu objetivo de recapturar partes do sul do país sob controle russo, que disseram ser importantes por razões econômicas e políticas.

"Com base nos resultados de nossas unidades de foguetes e artilharia, o inimigo perdeu 5️2, um obus Msta-B, um morteiro e sete veículos blindados e outros, bem como um depósito de munição em Nova Kakhovka", disse o comando militar do sul da Ucrânia em comunicado.

Vídeos não verificados publicados nas mídias sociais mostraram fumaça e faíscas, seguidas por uma imensa bola de fogo em erupção no céu noturno. Imagens mostravam escombros espalhados pelas ruas e prédios queimados.

Imagens divulgadas pela mídia estatal russa mostraram um terreno baldio coberto de escombros e restos de edifícios.

Uma autoridade da administração local instalada na Rússia afirmou que a Ucrânia usou mísseis Himars no ataque e que destruiu depósitos contendo salitre, um composto químico que pode ser usado para fazer fertilizante ou pólvora, resultando em uma grande explosão.

O Ministério da Defesa ucraniano não respondeu imediatamente a um pedido de comentário sobre o tipo de arma usada.

Vladimir Leontyev, chefe da administração civil-militar do distrito de Kakhovka, instalado na Rússia, disse, segundo a agência de notícias russa Tass, que pelo menos sete pessoas foram mortas no ataque e cerca de 60 ficaram feridas.

"Ainda há muitas pessoas sob os escombros. Os feridos estão sendo levados para o hospital, mas muitas pessoas estão sitiadas em seus apartamentos e casas", declarou Leontyev, de acordo com a Tass.

Segundo ele, depósitos, lojas, uma farmácia, postos de gasolina e uma igreja foram atingidos.

Relatos não verificados nas mídias sociais dão conta de que o ataque matou vários comandantes militares russos.

A Rússia acusou a Ucrânia de bombardear seu próprio povo em território do qual perdeu o controle. A Ucrânia diz que retira o maior número possível de pessoas de áreas tomadas por forças russas no que ela e o Ocidente classificam como uma tentativa de apropriação de terras no estilo imperial por Moscou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos