"Não foi fácil" ter COVID-19 e conviver com o primeiro-ministro do Canadá, diz sua esposa

Sophie Gregoire-Trudeau, em outubro de 2019, felicitando seu marido, o primeiro-ministro canadense Justin Trudeau, por sua reeleição

Ficar doente com COVID-19 e viver sob o mesmo teto que o primeiro-ministro do Canadá "não foi fácil", disse a esposa de Justin Trudeau, que contraiu o vírus em março.

"Meu marido trabalhava das 7h00 às 21h00 no escritório dele, então era eu que ficava com as crianças, tive que ser extremamente cuidadosa", contou Sophie Gregoire-Trudeau à emissora pública da Rádio-Canadá.

"Eu estava sozinha com as crianças, tive que me distanciar, usava luvas, máscara, mas não foi fácil", disse.

Trudeau e sua família ficaram isolados por duas semanas no Rideau Cottage, a residência oficial do primeiro-ministro em Ottawa, depois que sua esposa foi diagnosticada com o novo coronavírus após voltar de uma viagem a Londres.

A doença "durou mais de uma semana", disse Gregoire-Trudeau, que descreveu como havia perdido "seu olfato e paladar" e como teve que lidar com "dores de cabeça, dores no corpo por toda parte, indigestão, náusea".

A esposa de Trudeau riu alto quando perguntada se tinha medo de infectar o primeiro-ministro de um país do G7 e rapidamente acrescentou: "Eu ri, mas não é engraçado. Acho que em todas as famílias tentamos lidar com isso, então há distanciamento social".

Oficialmente curada do vírus desde 28 de março, Gregoire-Trudeau diz que recuperou o olfato e o paladar, mas que "não está como antes".

Desde sua recuperação, ela se mudou com seus filhos - de 6 a 12 anos - para a residência de verão do primeiro-ministro em Harrington Lake, Quebec.