Foi libertada a presidente do Colégio de Médicos da Turquia

Centenas de pessoas celebraram a libertação da presidente do Colégio de Médicos da Turquia, apesar de ter sido condenada por espalhar propaganda terrorista. Sebnem Korur Fincanci foi detida depois de ter exigido uma investigação ao alegado uso de gás tóxico por parte do Exército turco contra os militantes curdos no norte do Iraque.

Depois da libertação, disse aos jornalistas que os médicos, principalmente os que lutam pelos direitos humanos, têm a responsabilidade de "partilhar qualquer que seja a verdade". A médica lembrou que os meios de comunicação social devem transmitir essa verdade ao público.

Sebnem Korur Fincanci é a mais recente ativista a ser condenada ao abrigo das rigorosas leis antiterrorismo da Turquia. Esta quarta-feira, foi condenada a dois anos e oito meses de prisão, mas no país as pessoas raramente são presas por penas inferiores a três anos. Durante o julgamento, a médica rejeitou as acusações de espalhar propaganda – disse que apenas mostrou a sua opinião.

O governo turco nega o uso de armas químicas contra os militantes curdos do PKK.