Folia de Reis de Vargem Grande terá transmissão virtual pela primeira vez

Madson Gama
·3 minuto de leitura

RIO — Depois de seis anos celebrando a Folia de Reis pelas ruas de bairros como Vargem Grande, Jacarepaguá, Campo Grande e Guaratiba, desta vez, por conta da pandemia, a orquestra de viola caipira Caipirando dará continuidade à tradição por meios virtuais. O grupo transmitirá a festa pelo YouTube e pelo Facebook, no dia 9, sábado, a partir das 17h. Em vez da costumeira ida de porta em porta simbolizando o encontro dos três Reis Magos — Gaspar, Melchior (ou Belchior) e Baltazar — com o menino Jesus, o coletivo fará um cortejo até o Sítio Santo Antônio, em Vargem Grande.

— A partir daí, reproduziremos todo o ritual que fizemos na vizinhança nos outros anos, que deve durar uns 30 minutos. Um deles é o da bandeira, que tem os três Reis Magos e é um amuleto de fé nessa tradição: quando chegarmos ao sítio, cantaremos uma música chamada “Reisado de chegada”. Em seguida, entregaremos o estandarte ao morador, que passeará pelos cômodos de sua casa, abençoando o lar. Ele ficará com a bandeira durante toda a cerimônia, que envolverá uma reverência ao presépio montado na propriedade. No final, ele a entregará ao condutor do cortejo, e todos cantaremos a cantiga “Encontro de bandeiras”. Essa é uma das atrações que o público verá. Vamos fazer tudo com distanciamento e máscara e ao ar livre. É a primeira transmissão on-line de uma Folia de Reis — afirma o maestro da orquestra, Henrique Bonna.

No YouTube, a reisada, como também é conhecida a festividade, poderá ser acompanhada pelo canal Caipirando. No Facebook, através da página Folia de Reis do Carioca. O ritual da bandeira será ao vivo. Antes dele, no entanto, haverá uma parte gravada, tratando da história e da importância do festejo. A orquestra já existe há dez anos, e trabalha com instrumentos como viola, rabeca, flauta e percussão, todos utilizados na execução dos os cânticos da celebração de reis, que são músicas que retratam o nascimento de Jesus. Outros grupos que animam a comemoração são o Brincantes da Pedra Branca, que dança em torno do presépio, e o Crianças Malabares, que representa as estrelas que os três Reis Magos seguiram para encontrar o filho de Deus.

— O violeiro é condutor de uma cultura que tem que ser preservada. E uma dessas tradições envolvidas com a viola caipira é a Folia de Reis. Desde o início, nossa proposta foi mais destacar o lado cultural. Na prática, no entanto, percebemos que existe um caráter espiritual muito forte, principalmente neste momento de pandemia, em que as pessoas se agarram à fé e à esperança de dias melhores. Houve um ano em que entramos numa casa e uma senhora enferma que estava deitada começou a levantar e cantar. Isso foi muito significativo para nós e para os familiares dela — relata Henrique.

O Dia dos Três Reis Magos ou a Folia de Reis é 6 de janeiro, mas a celebração de Vargem Grande será no dia 9 por cair num fim de semana. Segundo a tradição, quando Gaspar, Melchior e Baltazar viram a Estrela de Belém no céu, foram ao encontro do menino Jesus, que havia acabado de nascer, e entregaram-lhe ouro, incenso e mirra, simbolizando, respectivamente, a prosperidade, a divindade e a imortalidade. De origem europeia, a data, quando tradicionalmente se desmontam decorações natalinas, é festejada em diversos países do continente, como Espanha e Itália. No Brasil, os grupos vão de casa em casa entoar cânticos com instrumentos como sanfona, viola e violão.