Força aérea americana diz que não pretendeu desenhar 'pênis' perto de base russa

A liderança da Força Aérea dos EUA na Europa negou que o desenho de um "pênis" feito no céu por um avião militar americano perto de uma base russa na Siria tenha sido feito de propósito.

Segundo o capitão Ryan Goss, um avião-tanque KC-135 não pretendia voar em um "padrão de voo fálico".

"O KC-135 Stratotanker (RAKE71) operando no Mediterrâneo Oriental se ajustou entre várias rotas de voo diferentes durante o curso da missão", disse Goss em um comunicado divulgado pelo site Task and Purpose na sexta-feira. "Embora esses ajustes e movimentos pareçam criar um contorno vulgar, não houve intenção dos pilotos ou da unidade de fazê-lo".

O território da Rússia estava distante, mas o piloto de um avião militar dos EUA desenhou um "pênis" no céu, marcando a sua rota sobre o Mar Mediterrâneo, conforme mostrou um mapa do Flightradar. A princípio, a especulação sobre a observação do desenho girava em torno de uma provocação aos russos.

Na noite da última terça-feira, o piloto da aeronave de reabastecimento KC-135 Stratotanker fez o voo "fálico" diante da base de Tartus (Síria), que é operada pela Marinha da Rússia, contou o jornal britânico "Daily Mirror".

Foi relatado no Twitter que a aeronave permaneceu no ar por quase duas horas, a leste de Chipre.

O Mediterrâneo foi cenário de um encontro tenso entre três aviões da Marinha dos EUA e aeronaves russas em fevereiro, dias antes de a Rússia lançar sua invasão em grande escala da Ucrânia.