Força mental de Bárbara Heck, do ‘BBB 22’, é explicada por neurocientista: ‘Ganha quem joga melhor o xadrez emocional’

·3 min de leitura

A força mental da gaúcha Bárbara Heck na primeira prova do “BBB 22”, que foi de resistência e valia imunidade entre os integrantes do grupo Pipoca, mereceu elogios da casa e até do apresentador, Tadeu Schmidt, que chegou a dizer que a loura foi uma verdadeira coach na vitória. A resistência da modelo por 12 horas e 9 minutos, entretanto, não caiu do céu. Vem dos estudos. Ela faz pós-graduação em Neurociência e sabe como se manter focada em situações adversas.

A família de Bárbara não se surpreendeu com o sucesso na prova, assim como a neurocientista e doutora em psicanálise Elainne Ourives. Autora de livros best-sellers no país, Elainne explica que a Neurociência é uma arma poderosa para as pessoas superarem obstáculos.

— Quando alguém é refém de sentimentos negativos, como medo, solidão, tristeza e aflição, o confinamento do “BBB” pode ampliar todas essas sensações e gerar um alto grau de estresse. Porém, isso pode ser amenizado com recursos mentais muito específicos, baseados na Neurociência. A capacidade imaginativa de desenhar mentalmente as estratégias da vitória ajuda o cérebro a produzir os hormônios poderosos para o corpo. Ganha quem joga melhor o xadrez emocional, sabe lidar com as emoções e com as armadilhas da mente — destaca ela.

A neurocientista acredita que os estudos de Bárbara podem fazer a diferença no programa. Não só nas provas de resistência, como também no longo confinamento forçado em busca do prêmio de R$ 1,5 milhão.

— A resiliência necessária para vencer é a mental e a emocional. No jogo, ela pode ser trabalhada o tempo todo com meditação. Com um simples minuto de silêncio diário. O participante pode, por exemplo, aquietar o espírito, acalmar os pensamentos e se dissociar do jogo, todos os dias, em momentos específicos. Isso trará alívio mental e emocional, com certeza. Vai impactar ainda a fisiologia, a energia e a vibração pessoal também. O que a mente quer, a mente realiza. Todas essas ações, com certeza, vão estabelecer um padrão mental e emocional durante o jogo — explica Elainne.

Sobre as temidas provas de resistência, a profissional aponta que o segredo é o autocontrole, não a força física:

— O sucesso está na estratégia mental para cada prova, na liberdade encontrada dentro de si e na capacidade de imaginar o resultado e cada passo dado na competição.

A Neurociência, explica Elainne, mostra que o cérebro é neuroplástico e se regenera o tempo todo.

— O cérebro é altamente adaptativo. Além disso, o órgão não sabe distinguir o que é realidade do que é imaginação, e libera neurotransmissores para cada cena ou momento específico. Para o bem ou para o mal — ensina.

Por esse motivo, a neurocientista acredita que o “BBB” é mais do que uma experiência social de convivência.

— É uma profunda experiência sensorial de auto-observação, dos mecanismos de defesa do ego, de força mental e resiliência emocional. O jogo, na verdade, é interior, mental e emocional — pontua ela, destacando que o controle emocional afeta a convivência entre os participantes: — As emoções ficam mais afloradas e em evidência no “BBB”. Por conta do confinamento diário e de relações estranhas, os participantes passam por um tremendo estresse emocional e mental na convivência com os demais. Por isso, em quase todas as edições se observam brigas, ofensas, discussões e muitos conflitos entre os brothers. Tudo ganha ressonância emocional, proporção elevada e se amplifica dentro da casa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos