Força-tarefa de combate às milícias é recebida a tiros de fuzis durante operação em Nova Iguaçu

Extra

A Força Tarefa criada pela Polícia Civil para combate às milícias na Baixada Fluminense realizou, na noite desta quarta-feira, uma operação na região conhecida como Km 32, em Nova Iguaçu, e foi recebi com tiros de fuzis. Há informações de criminosos mortos no local e armas de fogo apreendidas.

A operação, realizada por Policiais Civis da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE), tinha o objetivo de verificar informações de inteligência oriundas da Subsecretaria de Inteligência (SSINT), que davam conta de uma reunião de criminosos armados no local, sendo todos ligados à milícia.

Por volta das 23 horas, ainda havia nas redes sociais registros de tiroteio nas proximidades do Km 32.

 

A Polícia Civil criou esta Força Tarefa voltada para a Baixada Fluminense visando garantir uma eleição livre e segura depois que dois candidatos a vereador foram assassinados na Baixada num intervalo de menos de 15 dias. Os crimes levaram a polícia a antecipar a atuação do grupo, que já vinha sendo desenhada, conforme adiantou ao EXTRA o delegado Allan Turnowski, secretário de Polícia Civil do Rio.

Ainda de acordo com o secretário, para aumentar o suporte às investigações sobre os crimes ligados a fatores políticos, foram postos em cargos estratégicos delegados com experiência na Baixada.

Dois candidatos assassinados

A corrida pela criação da força-tarefa da Polícia Civil acontece depois da sequência de assassinatos que ocorreram no período do dia 1º ao dia 10 deste mês. O mais recente foi na noite do último sábado, quando o candidato a vereador pelo Democratas (DEM), Domingos Barbosa Cabral, de 57 anos, foi morto a tiros, no bairro do Cabuçu, em Nova Iguaçu, na Baixada.